sexta-feira, 22 de julho de 2016

Renovação – Martins Peralva.

Brilhe a vossa luz
O supremo objetivo do homem, na Terra, é o da sua própria renovação.
Aprender, refletir e melhorar-se, pelo trabalho que dignifica — eis a nossa finalidade, o sentido divino de nossa presença no mundo.
Descendo o Cristo das esferas de luz da Espiritualidade Superior à Terra, teve por escopo  orientar a Humanidade na direção do aperfeiçoamento.
 “Brilhe a vossa luz” - eis a palavra de ordem, enérgica e suave, de Jesus, a quantos Lhe herdaram o patrimônio evangélico, trazido ao mundo ao preço do Seu próprio sacrifício.
A infinita ternura de Sua Angelical Alma sugere-nos, incisiva e amorosamente, o esforço  benéfico: “Brilhe a vossa luz.” O interesse do Senhor é o de que os Seus discípulos, de ontem, de hoje e de qualquer  tempo, sejam enobrecidos por meio de uma existência moralizada, esclarecida, fraterna.
O Evangelho aí está, como presente dos céus, para que o ser humano se reflete com as suas bênçãos, se inunde de suas luzes, se revigore com as suas energias, se enriqueça com os seus ensinos eternos.
O Espiritismo, em particular, como revivescência do Cristianismo, também aí está, ofertando-nos os oceânicos tesouros da Codificação.
Pode-se perguntar: De que mais precisa o homem, para engrandecer-se, pela cultura e pelo sentimento, se lhe não faltam os elementos de renovação, plena, integral, positiva?...
Que falta ao homem moderno, usufrutuário de tantas bênçãos, para que “brilhe a sua luz?
A renovação do homem, sob o ponto de vista moral, intelectual e espiritual, é difícil, sem dúvida.
Mas é francamente realizável.
É indispensável, tão somente, disponha-se ele ao esforço transformativo, com a consequente utilização desses recursos, desses meios, desses elementos que o Evangelho e o  Espiritismo lhe fornecem exuberantemente, farta e abundantemente, sem a exigência de qualquer  outro preço a não ser o preço de uma coisa bem simples: a boa vontade. A disposição de auto-melhoria.
O homem, para renovar-se, tem que estabelecer um programa tríplice, como ponto de partida para a sua realização íntima, para que “brilhe a sua luz”, baseado no Estudo, na Meditação  e no Trabalho.
ESTUDO: - O estudo se obtém através da leitura do Evangelho, dos livros da Doutrina Espírita e de quaisquer obras educativas, religiosas ou filosóficas, que o levem a projetar a mente na direção  dos ideais superiores.
O estudo deve ser meditado, assimilado e posto em prática, a fim de que se transforme em frutos de renovação efetiva, positiva e consciente: “Conhecereis a Verdade e a Verdade vos fará livres.”
MEDITAÇÃO: - A meditação é o ato pelo qual se volve o homem para dentro de si mesmo, onde encontrará a Deus, no esplendor  de Sua Glória, na plenitude do Seu  Poder, na ilimitada expansão do Seu Amor: “O Reino de Deus está dentro de vós.” Através da prece, na meditação, obterá o homem a fé de que necessita para a superação de suas fraquezas e a esperança que lhe estimulará o bom ânimo, na arrancada penosa, bem como o  conforto e o bem-estar que lhe assegurarão, nos momentos difíceis, o equilíbrio interior.
Na meditação e na prece haurirá o homem a sua própria tonificação, o seu  próprio  fortalecimento moral e a inspiração para o bem.
TRABALHO: - O trabalho, em tese, para o ser em processo de evolução, configura-se sob três aspectos principais: material, espiritual, moral. Através do trabalho material, propriamente dito, dignifica-se o homem no cumprimento dos deveres para consigo mesmo, para com a família que Deus lhe confiou, para com a sociedade de que participa. Pelo trabalho espiritual, exerce a fraternidade com o próximo e aperfeiçoa-se no  conhecimento transcendente da alma imortal.
No campo da atividade moral, lutará, simultaneamente, por adquirir qualidades elevadas, ou, se for o caso, por sublimar aquelas com que já se sente aquinhoado. Em resumo: aquisição, cultivo e ampliação de qualidades superiores que o distanciem, em definitivo, da animalidade em que jaz há milênios de milênios: “É na vossa perseverança que ganhamos as vossas almas.”
A estrada é difícil, o caminho é longo, repleto de espinhos e pedras, de obstáculos e, limitações, porém, a meta é perfeitamente alcançável. Uma coisa, apenas, é indispensável: um pouco de boa vontade. Boa vontade construtiva, eficiente, positiva.
O resto virá, no curso da longa viagem...
Livro: Estudando o Evangelho - Martins Peralva.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Oração

Oração

Nossa Receita