quarta-feira, 30 de abril de 2014

A CARIDADE MAIOR - (Irmão X) Humberto de Campos.

Ao Homem que alcançara o Céu, pedindo orientação sobre as tarefas de benemerência social que pretendia estender na Terra, o Anjo da Caridade falou compassivo: – Volta ao mundo e cumpre, de boa vontade, as obrigações que o destino te assinalou!…
Para que te sintas de pé, cada dia, milhões de vidas microscópicas esforçam-se em tua carne, garantindo-te a bem estar…
Cada órgão e cada membro de teu corpo amparam-te, abnegadamente, para que te faças abençoado discípulo da civilização.
Os olhos identificam as imagens que já podes perceber, livrando-te da desordem interior.
Os ouvidos selecionam sons e vozes para que não vivas desorientado.
A língua auxilia-te a expressar os pensamentos, enriquecendo-te de sabedoria.
As mãos realizam-te os sonhos, engrandecendo-te o caminho na ciência e na arte, no progresso e na indústria.
Os pés sustentam-te a máquina física para que não te arrojes à inércia.
A boca mastiga os alimentos para que não te condenes à inação.
Os pulmões asseguram-te o ar puro contra a asfixia.
O estômago digere as peças com que nutrirás o próprio sangue.
O fígado gera forças vitais que te entretêm a harmonia orgânica.
O coração movimenta-se sem parar, escorando-te a existência.
Vives da caridade de inúmeras vidas inferiores que te obedecem a mente.
Torna, pois, ao lugar em que o Senhor te situou e satisfaze as tarefas imediatas que o mundo te reserva!…
Caridade é servir sem descanso, ainda mesmo quando a enfermidade sem importância te convoque ao repouso;
- é cooperar espontaneamente nas boas obras, sem aguardar o convite dos outros;
- é não incomodar quem trabalha;
- é aperfeiçoar-se alguém naquilo que faz para ser mais útil;
- é suportar sem revolta a bílis do companheiro;
- é auxiliar os parentes, sem reprovação;
- é rejubilar-se com a prosperidade do próximo;
- é resumir a conversação de duas horas em três ou quatro frases;
- é não afligir quem nos acompanha;
- é ensurdecer-se para a difamação;
- é guardar o bom humor, cancelando a queixa de qualquer procedência;
- é respeitar cada pessoa e cada coisa na posição que lhes é própria…
E por que o Homem ensaiasse inoportunas indagações, o Anjo da Caridade concluiu:
- Volta ao corpo e age incessantemente no bem!… Não percas um minuto em descabidas inquirições. Conduze os problemas que te atormentam o espírito ao teu próprio trabalho e o teu próprio trabalho liquidá-los-á…
A experiência aclara o caminho de quantos lhe adquirem o tesouro de luz.
Recolhe as crianças desvalidas, ampara os doentes, consola os infelizes e socorre os necessitados.
Não olvides, pois, que a execução de teus deveres para com o próximo será sempre a tua caridade maior.
Livro: Cartas e Crônicas.
Humberto de Campos / Chico Xavier.

terça-feira, 29 de abril de 2014

O Cego e o Publicitário


Verdadeiro sentido da vida e Lições de vida o mundo dá voltas - Para Nossa reflexão.


KANTO DE MALINTELIGENTULO


Ve! Malinteligenta! Kial mi 
Nenion ja komprenas, aŭ pli bone, 
Nur iomete, kvazaŭ ĉio ĉi 
Montriĝas en nebulo, nur duone? 

De ĉiuj mokataĵo! Montras buboj 
Sur min per fingroj, fajfas en petolo... 
Ve! mian kapon kovras nigraj nuboj, 
De histriono estas mia rolo! 

Pri kio vi, bubaĉoj, estas pli 
Ol mi, ke vi ridegas min malnoble? 
Ĉu ankaŭ mi ne estas fil’ de Di’? 
Konduton vian venĝu Li miloble! 

Sed kion mi protestas? Ĉu mi pravas, 
Ke oni min mokadas, kiel beston? 
Ĉu iu, misuzinta cerbon, havas 
Ian rajton plu havi homan veston? 

Terura estis mia cerbarmilo! 
Mia plum’ estis skurĝ’ eĉ kontraŭ Dio... 
Sed alia fariĝos mia stilo 
Laŭ la instruoj de l’ Evangelio! 

5/12/1960 - J. CRUZ E SOUZA.
Libro: Mediuma Poemaro.
Luís da Costa Porto Carreiro Neto.

Sexo - Emmanuel

"Eu sei, e estou certo no Senhor Jesus, que nenhuma coisa é de si mesma imunda a não ser para aquele que a tem por imunda." - Paulo. (ROMANOS, 14:14)
Quando Paulo de Tarso escreveu esta observação aos romanos, referia-se à alimentação que, na época, representava objeto de áridas discussões entre gentios e judeus.
Nos dias que passam, o ato de comer já não desperta polêmicas perigosas, entretanto, podemos tomar o versículo e projetá-lo noutros setores de falsa opinião.
Vejamos o sexo, por exemplo. Nenhum departamento da atividade terrestre sofre maiores aleives. Fundamente cego de espírito, o homem, de maneira geral, ainda não consegue descobrir aí um dos motivos mais sublimes de sua existência. Realizações das mais belas, na luta planetária, quais sejam as da aproximação das almas na paternidade e na maternidade, a criação e a reprodução das formas, a extensão da vida e preciosos estímulos ao trabalho e à regeneração foram proporcionadas pelo Senhor às criaturas, por intermédio das emoções sexuais; todavia, os homens menoscabam o "lugar santo", povoando-lhe os altares com os fantasmas do desregramento.
O sexo fez o lar e criou o nome de mãe, contudo, o egoísmo deu-lhes em troca absurdas experimentações de animalidade, organizando para si mesmo provações cruéis.
O Pai ofereceu o santuário aos filhos, mas a incompreensão se constituiu em ofertas deles. É por isto que romances dolorosos e aflitivos se estendem, através de todos os continentes da Terra.
Ainda assim, mergulhado em deploráveis desvios, pergunta o homem pela educação sexual, exigindo-lhe os programas. Sim, semelhantes programas poderão ser úteis; todavia, apenas quando espalhar-se a santa noção da divindade do poder criador, porque, enquanto houver imundice de quem analise ou de quem ensine, os métodos não passarão de coisas igualmente imundas.
Livro: Pão Nosso.
Emmanuel – Chico Xavier.

Provas de fogo - Emmanuel

“E o fogo provará qual seja a obra de cada um.” – Paulo. (1ª Epístola aos Coríntios, 3:13.)
A indústria mecanizada dos tempos modernos muito se refere às provas de fogo para positivar a resistência de suas obras e, ponderando o feito, recordemos que o Evangelho, igualmente, se reporta a essas provas, há quase vinte séculos, com respeito às aquisições espirituais.
Escrevendo aos Coríntios, Paulo imagina os obreiros humanos construindo sobre o único fundamento, que é Jesus-Cristo, organizando cada qual as próprias realizações, de conformidade com os recursos evolutivos.
Cada discípulo, entretanto, deve edificar o trabalho que lhe é peculiar, convicto de que os tempos de luta o descobrirão aos olhos de todos, para que se efetue reto juízo acerca de sua qualidade.
O aperfeiçoamento do mundo, na feição material, pode fornecer a imagem do que seja a importância dessas aferições de grande vulto. A Terra permanece cheia de fortunas, posições, valores e inteligências que não suportam as provas de fogo; mal se aproximam os movimentos purificadores, descem, precipitadamente, os degraus da miséria, da ruína, da decadência. No serviço do Cristo, também é justo que o aprendiz aguarde o momento de verificação das próprias possibilidades. O caráter, o amor, a fé, a paciência, a esperança representam conquistas para a vida eterna, realizadas pela criatura, com o auxilio santo do Mestre, mas todos os discípulos devem contar com as experiências necessárias que, no instante oportuno, lhe provarão as qualidades espirituais.
Livro: Pão Nosso
Emmanuel / Chico Xavier.

segunda-feira, 28 de abril de 2014

Sempre em Paz - Joanna de Ângelis


A violência que tumultua os homens e o aturdimento que toma conta dos quadrantes da terra, dando gênese à loucura que se generaliza, decorre, inicialmente da agressividade íntima, que se demora no mundo pessoal de cada criatura, produzindo desequilíbrio e inferioridade.
Certamente, a provocação do mal engendra reações inesperadas, sustentando o desespero e conduzindo a estados agressivos, todavia, tal acorre porque encontra matrizes íntimas no homem que, em si mesmo, vive infeliz.
Por isso, enunciou Jesus: - Vigiai e orai, afim de não cairdes em tentação.” Concitando-nos ao equilíbrio e à perseverança no dever.
Sejam, quais fazem as circunstâncias difíceis em que te sintas envolvido, mantém a tua paz.
Atua com severidade, porém evita a rudeza.
Exerce a disciplina sem que derrapes na violência.
Promove a educação, não permitindo a agressividade.
Tudo quanto fizeres, faze-o em paz.
Maltratado ou sofrido, preserva a paz a qualquer preço, de modo a fruíres depois o prazer da serenidade.
Em todas as circunstâncias, Jesus manteve-se ameno, em serenidade integral.
Paz é irrestrita confiança em Deus.
Conserva, desse modo, a tua tranquilidade e coopera em favor do bem geral, não engrossando as fileiras dos reclamadores, dos violentos, dos insensatos.
A tua paz fala pela tua vida, tanto quanto a tua vida se refletirá em volta, conforme a tua conduta em conflito ou em paz.
Livro: Viver e Amar.
Joanna de Ângelis / Divaldo Franco.

NA OBRA DA LUZ / Ĉe laboro de prilumo.


NA OBRA DA LUZ
O poço foi cavado na terra firme.
Servia a todos, sustendo a vida em derredor.
Água límpida aos sedentos.
Água ao transporte para serviço à distância.
Água pura à limpeza.
Água canalizada à irrigação.
Certo dia, porém, o poço foi abandonado a si mesmo.
Desde então, poluiu-se-lhe a água, que secou, pouco a pouco.
Derruíram-se-lhe as paredes.
Caíram pedras dentro dele.
Atulhou-se-lhe o seio com folhas secas.
Cresceram pragas em torno, ocultando-lhe a boca aberta.
Em breve tempo, o antigo poço transformou-se em sepulcro ignorado ou cilada permanente aos transeuntes incautos.
A grande fonte de vida tornou-se a grande armadilha da morte.
*  
Tal é o destino da obra construtiva, impropriamente desprezada.
Tudo segue dignamente, se perseveramos na tarefa edificante.
Alegria do suor respeitável.
Alegria da obrigação retamente cumprida.
Alegria da vitória nas tentações.
Alegria da felicidade estendida a todos.
Mas, abandonada ao léu das circunstâncias, desajusta-se a máquina do serviço.
Tisnam-se os ideais.
Morrem as esperanças.
Cai o estímulo.
Enferrujam-se as peças da ação.
E, em pouco tempo, o que era tarefa florescente do amor é cova do egoísmo, provocando a queda e a desilusão de muitos.
*
Não se ausente da obra de luz e fraternidade a que você se dedica.
Quando o coração valoroso deserta do serviço começado no bem, o mal aparece em seu lugar.
Livro: Bem-Aventurados os Simples.
Valérium / Waldo Vieira.
Ĉe laboro de prilumo.
Puto estis fosita em firma tero.
Ĝis servada al ĉiuj, ĉirkaŭe subtenente vivon.
Pura akvo al soifantoj.
Transportita akvo por distanca servo.
Klara akvo por purigado.
Entubigita akvo por irigacio.
Sed unu tagon la puto estis forlasita al si mem.
De tiam malpuriĝis la akvo de la puto, kiu iom post iom sekiĝis.
Ĝiaj muroj disfalis.
Ŝtonoj falis en ĝin.
Sekaj foloj amasiĝis en ĝia interno.
Ĉirkaŭ ĝi elkreskis malutilaj plantoj, kiuj kaŝis ĝian aperturon.
Post nelonge la malnova puto transformiĝis en nekonatan tombon aŭ daŭran kaptilon por senzorgaj piedirantoj.
La granda fonto de vivo turnis sin en grandan kaptilon por la morto.
*
Tia estas la destino de ĉiu utila verko malprave forlasita.
Ĉio inde efektiviĝas, se ni obstinas em edifanta tasko.
Ĝojo el respektinda ŝvito.
Ĝojo el noble plenumita devo.
Ĝojo el venko kontraŭ tentoj.
Ĝojo el feliĉo donita de ni al ĉiuj.
Sed ia servanta homa maŝino malordiĝas, kiam forlasita al hazardo de cirkonstancoj.
La idealoj makuliĝas.
La esperoj mortas.
La stimulo malaperas.
La agkapabloj nuliĝas.
Kaj post nelonge la konstruanta amo cedas lokon al egoísmo kaŭzanta falon kaj elreviĝojn de multaj.
*
Ne forlasu laboron de prilumo kaj frateco, al kiu vi vin dediĉas.
Kiam nobla koro forlasas laboron komencitan por la bono, tiam malbono aperas em ĝia loko.
Libro: Feliĉaj la Simplaj.
Valérium / Waldo Vieira.

QUEIXUMES - Emmanuel

“Irmãos, não vos queixeis uns dos outros, para que não sejais reprovados.” (TIAGO, 5:9.)
Cada vez que nossos lábios cedem ao impulso da queixa, quase sempre estamos simplesmente julgando a vida que nos é própria.
Observa, assim, a ti mesmo e deixa que a consciência te vigie a palavra.
Se viste uma pessoa em falta contra outra, não lhe exageres a culpa, recordando quantas vezes terás faltado igualmente contra o próximo. E assim como agradeceste a quantos te desculparam os senões da conduta, confiando em que te melhorarias com o tempo, ampara também o irmão caído em erro, através de teu otimismo fraternal, para que se levante e te bendiga.
Se um companheiro te ofendeu, não te confies a reações descabidas, refletindo nas ocasiões em que terás igualmente ferido os semelhantes. E assim como te rejubilaste, diante de todos os que te esqueceram os golpes, na certeza de que saberias reconsiderar a própria atitude, auxilia também o amigo que se fez instrumento de tua dor, através do olvido de todo mal, a fim de que ele se restaure e te abençoe a grandeza de espírito.
Em toda conversação, na qual sejamos induzidos a examinar o comportamento do próximo submetido à censura alheia, vasculhemos o íntimo, concluindo se não teríamos praticado incorreções iguais ou maiores no lugar dele. E, em todas as circunstâncias, não nos esqueçamos de que, estaremos intimando, automaticamente, a nós mesmos a viver em nível mais alto e a fazer coisa melhor.
Livro: Palavras de Vida Eterna.
Emmanuel / Chico Xavier.

domingo, 27 de abril de 2014

Cartões - 37











2º Congresso Espírita Alagoano - 25, 26 e 27 Abril de 2014 (algumas fotos)



































Minha pequena Contribuição: Excelente Congresso, tivemos o prazer de participar, oradores e temas dignificante e amorosos. Parabéns a toda Equipe da  FEEAL, da Radio Brasil Espírita e demais colaboradores. Saudades destes momentos e esperançoso desde já pelo próximo congresso, que venha!. Antônio Ramos.

Oração

Oração

Nossa Receita