segunda-feira, 28 de abril de 2014

Sempre em Paz - Joanna de Ângelis


A violência que tumultua os homens e o aturdimento que toma conta dos quadrantes da terra, dando gênese à loucura que se generaliza, decorre, inicialmente da agressividade íntima, que se demora no mundo pessoal de cada criatura, produzindo desequilíbrio e inferioridade.
Certamente, a provocação do mal engendra reações inesperadas, sustentando o desespero e conduzindo a estados agressivos, todavia, tal acorre porque encontra matrizes íntimas no homem que, em si mesmo, vive infeliz.
Por isso, enunciou Jesus: - Vigiai e orai, afim de não cairdes em tentação.” Concitando-nos ao equilíbrio e à perseverança no dever.
Sejam, quais fazem as circunstâncias difíceis em que te sintas envolvido, mantém a tua paz.
Atua com severidade, porém evita a rudeza.
Exerce a disciplina sem que derrapes na violência.
Promove a educação, não permitindo a agressividade.
Tudo quanto fizeres, faze-o em paz.
Maltratado ou sofrido, preserva a paz a qualquer preço, de modo a fruíres depois o prazer da serenidade.
Em todas as circunstâncias, Jesus manteve-se ameno, em serenidade integral.
Paz é irrestrita confiança em Deus.
Conserva, desse modo, a tua tranquilidade e coopera em favor do bem geral, não engrossando as fileiras dos reclamadores, dos violentos, dos insensatos.
A tua paz fala pela tua vida, tanto quanto a tua vida se refletirá em volta, conforme a tua conduta em conflito ou em paz.
Livro: Viver e Amar.
Joanna de Ângelis / Divaldo Franco.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Oração

Oração

Nossa Receita