domingo, 31 de julho de 2016

Dirigentes e os Médiuns / Direktantoj kaj la mediumoj

374 – Nas sessões, os dirigentes e os médiuns têm uma tarefa definida e diferente entre si?
Nas reuniões doutrinárias, os papéis do orientador e do instrumento mediúnicos devem estar sempre identificados na mesma expressão de fraternidade e de amor, acima de tudo; mas, existem características a assinalar, para que os serviços espirituais produzam os mais elevados efeitos, salientando-se que os dirigentes das sessões devem ser o raciocínio e a lógica, enquanto o médium deve representar a fonte de água pura do sentimento. É por isso que, nas reuniões onde os orientadores não cogitam da lógica e onde os médiuns não possuem fé e desprendimento, a boa tarefa é impossível, porque a confusão natural estabelecerá a esterilidade no campo dos corações.
Livro: O Consolador – Emmanuel / Chico Xavier.
374. – Ĉe la seancoj, ĉu la direktantoj kaj la mediumoj havas ian difinitan kaj malsaman taskon inter si?
Ĉe la doktrinaj kunsidoj, la rolo de la orientanto kaj tiu de la mediumo devas esti ĉiam identigitaj per la sama karaktero de frateco kaj amo super ĉio. Sed oni atentigu, ke la spiritaj laboroj produktu la plej altajn efikojn, reliefigante, ke la direktantoj de la seancoj estu la racio kaj la logiko, dum la mediumo devas reprezenti la fonton de pura akvo de la sento. Tial, en la kunsidoj, kie la orientantoj ne atentas pri la logiko kaj kie la mediumoj ne havas fidon kaj abnegacion, la bona tasko estas neebla, ĉar la natura malordo estigos la sterilecon sur la kampo de la koroj.
Libro: La Konsolanto – Emmanuel / Chico Xavier.

Dia Feliz – Lourival Lopes

Encara o dia de frente.
O dia anda de acordo com o que pensas. Se acreditas que ele é triste, as idéias desanimadoras tomam conta de ti. Mas, se dizes que é maravilhoso, a idéia de maravilha se instala em ti e te impele a agir conforme sugere, se dizes que é alegre, o pensamento de alegriase firma em ti e te leva a usá-lo com prazer; se dizes que é proveitoso, o pensamento de utilidade te faz mais ágil e operoso.
Olha de frente o teu dia e afirma com convicção que é o melhor dia de tua vida. Assim fazendo, aprendes a gostar dele, tornando-o mais agradável.
Quando queres fazer os dias felizes, a felicidade abre asas sobre ti.
Livro: Sempre Alegre.
Lourival Lopes.

sábado, 30 de julho de 2016

Kiam la Tero Havos Pacon? - Stanislav Schulhof.


Ĉu jam baldaŭ la milito
plenfiniĝos sur la tero?
Kiam venkos la spirito
de la pac’ en viv-mistero?

Kiam de l’ milit’ kruela
neebliĝos la buĉado?
Ĉu l’ homaron la ĉiela
Fort’ fratigos per persvado?

Tiel, fratoj, vi demandas;
en vi mem respondon trovos
vi, se Vero vin komandas:
Pacon nur pacem’ alblovos.

Pacon se la mond’ deziros
en la pensoj kaj en ago,
al la ter’ ĝi ĝin altiros,
kaj ĝin naskos pac-imago.

1/10/1944 - Stanislav Schulhof.
Libro: Voĉoj de Poetoj el la Spirita Mondo.
Francisco Valdomiro Lorenz

Benfeitores da Humanidade - Allan Kardec (O Evangelho Segundo o Espiritismo)




Preces do Coração - 48

Ó Deus!
Livra-me da dependência aos remédios que me faz supor um doente. Ela é produto da falta de confiança em mim, da deficiência em querer proteger-me com ajutórios externos. Não necessito deste tipo de socorro. Tenho na mente a fonte da saúde, que torna desnecessários os remédios. Os pensamentos de fé, de esperança, de paz, de amor ao próximo encaminham para o meu campo interior vibrações que o estabilizam, afastam a gripe, a dor de cabeça, o mal-estar e outros desequilíbrios. Reafirmo, agora, que tenho a farmácia divina em mim. Mentalizo que estou ingerindo comprimidos de bondade, de alegria, de paz, que se expandem no meu interior e me trazem uma certeza de saúde permanente. Sempre que possível, imaginarei que estou tomando desses comprimidos e permanecerei em normalidade mental, física e espiritual. Obrigado! Obrigado!
Livro: Preces do Coração.
Lourival Lopes.

No Caminho - Scheilla

A Terra pode ser comparada a abençoado hospital, acolhendo as almas enfermas.
Natural, portanto, que a dor predomine no cenário do planeta.
Entretanto, ao lado dos sofredores seguem os trabalhadores do Bem, espalhando o bálsamo que alivia e a luz que esclarece.
Não há dor que não possa ser amenizada, assim como ninguém segue desamparado.
Na senda redentora que te marca os passos, contarás sempre com a ajuda invisível do Mais Alto, convidando-te para seguir adiante, sem desfalecer.
Nessa caminhada, aprenderás a converter fracasso em lição e sofrimento em cadinho purificador.
No final, te sentirás mais iluminado, ouvindo, na acústica da consciência, as vozes do amor anunciando a vitória do Bem.
Livro: Convites de Scheilla.
Clayton Levy.

sexta-feira, 29 de julho de 2016

Paŝo Post Paŝo – Igor Andrei


Se ja ne faras salton la Naturo, 
Nu, kiel do la homo en Ĉielon 
Per unu fojo venus, kvazaŭ muro 
Al li ne barus tian altan celon?

Jam ĉe la kreo de la mondo ni 
Ke ĉio estas iom–post–ioma 
Rimarkas, kaj estaĵoj pli kaj pli 
Ŝanĝiĝas, transirante ĝis la homa.

Tra infaneco ĉiu iri devas, 
Anstataŭ bruta li fariĝos klera; 
Kaj tiel hom’ sur la ŝtupar’ sin levas 
De l’ tera ombro ĝis la blu’ etera.

Nu, mi demandas vin: grandan ŝtuparon 
Vi suprenirus tuj per unu fojo? 
Se vi respondas “jes”, ho grandan faron 
Vi farus, kaj – jen antaŭ vi la vojo!

Sed ni revenu, frat’, al la prudento: 
Detenu vin de ĉia fantazio; 
Lernejoj svarmas tra la firmamento 
Kaj lerni, lerni devas hom’ ĝis Dio!

6/12/1961  - IGOR ANDREI 
Libro: Mediuma Poemaro.
Luis da Costa Porto Carreiro Neto.

Prece de Abigail


Senhor Deus, pai dos que choram,
Dos tristes, dos oprimidos
Fortaleza dos vencidos,
Consolo de toda a dor,
Embora a miséria amarga
Dos prantos de nosso erro,
Deste mundo de desterro,
Clamamos por vosso amor!

Nas aflições do caminho,
Na noite mais tormentosa
Vossa fonte generosa
É o bem que não secará...
Sois, em tudo, a luz eterna
Da alegria e da bonança
Nossa porta de esperança
Que nunca se fechará.

Quando tudo nos despreza
No mundo da iniqüidade,
Quando vem a tempestade
Sobre as flores da ilusão!
Ó Pai, sois a luz divina,
O cântico da certeza,
Vencendo toda aspereza,
Vencendo toda aflição.

No dia da nossa morte,
No abandono ou no tormento,
Trazei-nos o esquecimento
Da sombra, da dor, do mal!
Sintamos a luz da vida
Renovada e redimida
Na paz ditosa e imortal.

Livro: Paulo e Estevão
Emmanuel / Chico Xavier.

Os Acidentes - Miramez

0859/LE
A nossa mente é força poderosa que pode criar situações nos nossos destinos. Os acidentes em geral são produzidos pela nossa invigilância, então, a lei nos cobra, por ser ela instrumento da Justiça. Os nossos benfeitores da eternidade sempre nos falam sobre o respeito às leis, e devemos atendê-los, confiando mais na força divina dentro de nós, emergindo pelos processos da nossa consciência.
Podes verificar que quando uma pessoa dirige um veículo e sempre desrespeita os sinais, mesmo que não tenha provação cármica de passar por um acidente de veículos, ele está criando essa condição pelo desrespeito aos sinais que significam ordem nas raias humanas. Quando acontece um acidente, apesar de toda a atenção do motorista, é a força da cobrança do passado, usando o ambiente do presente.
O que devemos fazer no momento é, pois, respeitar todas as leis, porque elas criam em nosso coração a harmonia que nos defende dos males que provêm da invigilância. Esses acidentes que ocorrem na vida são coisas insignificantes, que nascem da nossa incompreensão das leis, e é nesse proceder que aprendemos a entender todas as situações que surgem para nos educar.
Os benfeitores espirituais não gostam dos sofrimentos humanos por coisas que podem ser evitadas. Eles sempre avisam, por muitos meios, para os homens evitarem os perigos, a não ser certas provas que trazem para os seres humanos lições que somente elas poderão e terão a força de corrigir certos desvios arraigados na conduta humana.
A fatalidade existe, mas é bom que compreendas onde ela se expressa como tal. No final da resposta de "O Livro dos Espíritos", a Entidade superior disse o seguinte:
"A fatalidade, verdadeiramente, só existe quanto ao momento em que deveis aparecer e desaparecer deste mundo."
Medita bem sobre esta resposta, que compreenderás os nossos pensamentos com mais facilidade. A morte é uma fatalidade, mas a data de sua ocorrência pode ser mudada por Aquele que é puramente a vida. Reencarnar é uma fatalidade, mas as épocas são variáveis para todos os seres. A existência das leis, se podemos dizer, é uma fatalidade para todos nós, encarnados e desencarnados, desde quando precisamos delas. Ao encontrarmos a verdade, tornando-nos livres, já somos a lei e somos a vida, o caminho e a verdade. A liberdade de escolha do que deves passar revestido pela carne é, ou pode ser, uma fatalidade gerada pela tua escolha, que pode ser mudada, desde que Deus ache conveniente. A alma, pelo seu procedimento, piora ou melhora sua situação.
Em cada mensagem colocamos um traço do que pensamos da verdade, para que possas te cientificar de que o Espiritismo cresce nas suas exposições, e que o progresso se estampa nos seus conceitos, como força de Deus para a paz e a esperança de todas as criaturas. Não deves te maravilhar dos feitos e do avanço da Doutrina dos Espíritos porque, com o tempo, a força do Espiritismo dominará todo o mundo mental das criaturas e mostrará a todos grandes coisas, como disse Jesus, registrado por João no capítulo cinco, versículo vinte e oito:
“Não vos maravilheis disto, porque vem a hora em que todos os que se acham nos túmulos ouvirão a sua voz e sairão.”
As palavras de Jesus, que os Espíritos superiores estão divulgando a todos, estão indo até os túmulos e desligando os Espíritos ali chumbados aos restos mortais, mostrando a eles a esperança de nova vida. Outras maravilhas deverão surgir, para glória d'Aquele que criou a própria vida!
Livro: Filosofia Espírita – Volume XVII
Miramez / João Nunes Maia.
Estudando O Livro dos Espíritos – Allan Kardec.
859. Com todos os acidentes, que nos sobrevêm no curso da vida, se dá o mesmo que com a morte, que não pode ser evitada, quando tem que ocorrer?
São de ordinário coisas muito insignificantes, de sorte que vos podeis prevenir deles e fazer que os eviteis algumas vezes, dirigindo o vosso pensamento, pois nos desagradam os sofrimentos materiais. Isso, porém, nenhuma importância tem na vida que escolhestes. A fatalidade, verdadeiramente, só existe quanto ao momento em que deveis aparecer e desaparecer deste mundo.
859-a. - Haverá fatos que forçosamente devam dar-se e que os Espíritos não possam conjurar, embora o queiram?
Há, mas que tu viste e pressentiste quando, no estado de Espírito, fizeste a tua escolha. Não creias, entretanto, que tudo o que sucede esteja escrito, como costumam dizer. Um acontecimento qualquer pode ser a conseqüência de um ato que praticaste por tua livre vontade, de tal sorte que, se não o houvesses praticado, o acontecimento não seria dado. Imagina que queimas o dedo. Isso nada mais é senão resultado da tua imprudência e efeito da matéria. Só as grandes dores, os fatos importantes e capazes de influir no moral, Deus os prevê, porque são úteis à tua depuração e à tua instrução.

quinta-feira, 28 de julho de 2016

Temos o que damos - Meimei

Cap. XIII – Item 20
Podes guardar o pão para muitos dias, ainda que o excesso de tua casa signifique ausência do essencial entre os próprios vizinhos; todavia, quanto puderes, alonga a migalha de alimento aos que fitam debalde o fogão sem lume.
Podes conservar armários repletos de veste inútil, ainda que a traça concorra contigo à posse do pano devido aos que se cobrem de andrajos; no entanto, sempre que possas, cede a migalha de roupa ao companheiro que sente frio.
Podes trazer bolsa farta, ainda que o dinheiro supérfluo te imponha problemas e inquietações; contudo, quanto puderes, oferece a migalha de recurso aos irmãos em necessidade.
Podes alinhar perfumes e adornos para uso à vontade, ainda que pagues caro a hora do abuso; mas, sempre que possas, estende a migalha de remédio aos doentes em abandono.
Um dia, que será noite em teus olhos, deixarás pratos cheios e móveis abarrotados, cofres e enfeites, para a travessia de grande sombra; entretanto, não viajarás de todo nas trevas, porque as migalhas de amor que tiveres distribuído estarão multiplicadas em tuas mãos como bênçãos de luz.
Livro: O Espírito da Verdade
Espíritos Diversos
Chico Xavier e Waldo Vieira. 

Quem Sois? – Emmanuel.

“Mas o espírito maligno lhes respondeu: Conheço a Jesus e bem sei quem é Paulo; mas vós, quem sois?” — (ATOS, capítulo 19, versículo 15.)
Qualquer expressão de comércio tem sua base no poder aquisitivo. Para obter, é preciso possuir.
No intercâmbio dos dois mundos, terrestre e espiritual, o fenômeno obedece ao mesmo princípio.
Nas operações comerciais de César, requerem-se moedas ou expressões fiduciárias com efígies e identificações que lhes digam respeito.
Nas operações de permuta espiritual requisitam-se valores individualíssimos, com os sinais do Cristo.
O dinheiro de Jesus é o amor. Sem ele, não é lícito aventurar-se alguém ao sagrado comércio das almas.
O versículo aqui nomeado constitui benéfica advertência a quantos, para o esclarecimento dos outros, invocam o Mestre, sem títulos vivos de sua escola sacrificial.
Mormente no que se refere às relações com o plano invisível, mantendo cuidado por evitar afirmativas a esmo.
Não vos aventureis ao movimento, sem o poder aquisitivo do amor de Jesus.
O Mestre é igualmente conhecido de seus infelizes adversários. Os discípulos sinceros do Senhor são observados por eles também. Os inimigos da luz reconhecem-lhes o sublime valor.
Quando vos dispuserdes, portanto, a esse gênero de trabalho, não olvideis vossa própria identificação, porque, provavelmente, sereis interpelados pelos representantes do mal, que vos perguntarão quem sois.
Livro: Caminho, Verdade e Vida.
Emmanuel / Chico Xavier.

quarta-feira, 27 de julho de 2016

O bem maior – Scheilla.

Não subestimes o bem que podes fazer.
É verdade que o mundo convulsiona sob o peso de mil dores.
Entretanto, ninguém te pede o impossível.
Por certo, não poderás aquietar o estômago de todos que passam fome.
Todavia, podes compartilhar com os irmãos desventurados o pão que te sobra à mesa.
Evidentemente, não conseguirás devolver a saúde a todos os enfermos da Terra.
Contudo, podes ser a presença amiga ao lado do leito de dores.
Lembra-te que a Providência Divina socorre o homem por meio do próprio homem.
Assim, não te furtes à pratica do bem que possas fazer porque, perante Deus, o maior bem é aquele que nasce do verdadeiro amor e da caridade irrestrita.
Livro: Convites de Scheilla.
Clayton Levy.

terça-feira, 26 de julho de 2016

Desastrosa deficiência / danĝera manko.

137 - O homem educado deve exercer vigilância sobre o seu grau de liberdade?
É sobre a independência própria que a criatura humana precisa exercer a vigilância maior.
Quando o homem educado se permite examinar a conduta de outrem, de modo leviano ou inconveniente, é sinal que a sua vigilância padece desastrosa deficiência, porquanto a liberdade de alguém termina sempre onde começa uma outra liberdade, e cada qual responderá por si, um dia, junto à Verdade Divina.
Livro: O Consolador – Emmanuel / Chico Xavier.
137. – Ĉu la edukita homo devas vigli super sia grado de libereco?
La homo bezonas ja plejmulte vigli super sia propra sendependeco.
Kiam la edukita homo permesas al si ekzameni aliulan konduton, senpripense aŭ nekonvene, tio signifas, ke lia vigleco  suferas danĝeran mankon, ĉar ies libereco finiĝas tie, kie komenciĝas aliula libereco, kaj ĉiu respondos por si mem, iam, antaŭ la Dia Vero.
Libro: La Konsolanto – Emmanuel / Chico Xavier

Komunikiĝoj kun la nevidebla mondo / Comunicação com o mundo invisível

Komunikiĝoj kun la nevidebla mondo
22. Post la akcepto de la ekzisto, la postvivo kaj la individueco de la animo, Spiritismo simpliĝas je unu sola ĉefa demando: Ĉu la komunikiĝoj inter la animoj kaj la vivantoj estas eblaj ?
Jes, kaj tiu ebleco estas rezultato de spertado. Starigitaj kiel fakto la rilatoj inter la mondoj videbla kaj nevidebla, kaj konataj la naturo, la kaŭzo kaj la maniero de tiuj interrilatoj, nova kampo malfermiĝis al la observado kaj estas akirita la ŝlosilo por tuta amaso da problemoj; ĝi estas samtempe potenca moraliga elemento dank'al la malapero de ĉiu dubo pri la estonteco.
25. La rilatoj inter la mondo videbla kaj la nevidebla povas esti kaŝitaj aŭ evidentaj, spontaneaj aŭ instigataj.
La Spiritoj agas sur la homojn kaŝite per la pensoj, kiujn ili sugestias kaj per iuj influoj; aŭ en maniero evidenta per efikoj percepteblaj por la sensoj.
La spontaneaj manifestiĝoj efektiviĝas neatendite kaj senprepare; ofte ili okazas ĉe la personoj plej fremdaj al la spiritismaj ideoj kaj kiuj, pro tio, ne povas ilin kompreni kaj tial ilin atribuas al supernaturaj kaŭzoj. Tiuj instigataj efektiviĝas pere de iuj personoj naturdotitaj de specialaj kapabloj al kiuj oni donas la nomon de mediumoj.
26. La Spiritoj povas manifestiĝi en diversaj manieroj: per vidado, aŭdado, tuŝado, bruoj, movado de objektoj, skribado, desegnado, muziko k. a.
28. Kvankam nevidebla por ni en sia normala stato, la perispirito estas ia etereca materio. La Spirito povas, en certajokazoj, submeti ĝin al ia molekula ŝanĝado, kiu faras ĝin videbla kaj eĉ tuŝebla; tiele efektiviĝas la aperoj. Tiu fenomeno ne estas pli eksterordinara ol tiu de la vaporo, kiu estas nevidebla kiam ĝi estas tre maldensigita, sed fariĝas videbla, kiam ĝi estas densigita.
La Spiritoj, kiuj montriĝas videblaj, prezentiĝas preskaŭ ĉiam sub la sama aspekto, kiun ili havis dum la vivo, kaj kiu rekonigas ilin.
29. La vidado konstanta kaj ĝenerala de la Spiritoj estas tre malofta, sed la okazaj aperoj estas pli oftaj, precipe en la momento de la morto. La liberiĝinta Spirito ŝajne rapidas por viziti siajn parencojn kaj amikojn, kvazaŭ por averti ilin, ke li ĵus forlasis la Teron, kaj por diri al ili, ke li tamen daŭre vivas.
Ĉiu esploru siajn rememorojn kaj oni vidos kiom da aŭtentikaj okazoj de tiu speco, kiujn oni ne atentis, efektiviĝis ne nur en la nokto, dum la dormo, sed en plena tago kaj dum la plej vigla maldormo. Iam oni rigardadis tiujn faktojn kvazaŭ supernaturaj kaj mirindaj, kaj oni atribuadis ilin al magio kaj sorĉarto: hodiaŭ la nekredantoj rigardas ilin kiel imagaĵon; sed post kiam la spiritisma scienco donis al ni ilian ŝlosilon, oni scias kiel ili efektiviĝas kaj ili jam ne eliras el la ordo de la naturaj fenomenoj.
Libro: Kio Estas Espiritismo – Allan Kardec.
Comunicação com o mundo invisível
22. Sendo admitidas a existência, a sobrevivência e a individualidade da alma, o Espiritismo reduz-se a uma só questão principal: Serão possíveis as comunicações entre as almas e os viventes?
Essa possibilidade foi demonstrada pela experiência, e, uma vez estabelecido o fato das relações entre os mundos visível e invisível, bem como conhecidos a natureza, o princípio e o modo dessas relações, abriu-se um novo campo à observação e encontrou-se a chave de grande número de problemas. Fazendo cessar a dúvida sobre o futuro, o Espiritismo é poderoso elemento de moralização.
25. As relações entre os mundos visível e invisível podem ser ocultas ou patentes, espontâneas ou provocadas.
Os Espíritos atuam sobre os homens ocultamente, sugerindo-lhes pensamentos e influenciando-os, de modo perceptível, por meio de efeitos apreciáveis aos sentidos.
As manifestações espontâneas se verificam inopinadamente e de improviso; produzem-se, muitas vezes, entre as pessoas mais estranhas às idéias espíritas, as quais, não tendo meios de explicá-las, as atribuem a causas sobrenaturais. As que são provocadas, dão-se por intermédio de certos indivíduos dotados para isso de faculdades especiais, e designados pelo nome de médiuns.
26. Os Espíritos podem manifestar-se de muitas maneiras diferentes: pela vista, pela audição, pelo tato, produzindo ruídos e movimentos de corpos, pela escrita, desenho, música, etc.
28. Ainda que invisível para nós no estado normal, o perispírito é matéria etérea. Em certos casos, o Espírito pode fazê-lo sofrer uma espécie de modificação molecular que o torna visível e mesmo tangível; é como se produzem as aparições — fenômeno que não é mais extraordinário que o do vapor que, invisível quando muito rarefeito, se torna visível por condensação.
Os Espíritos que se tornam visíveis apresentam-se, quase sempre, com as aparências que tinham em vida e que os podem tornar conhecidos.
29. A vidência permanente e geral de Espíritos é muito rara, porém as aparições isoladas são assaz freqüentes, sobretudo em ocasiões de morte; o Espírito, quando deixa o corpo, parece ter pressa de ir ver seus parentes e amigos, como para adverti-los de já não estar na Terra, e dizer-lhes que ainda vive.
Se passarmos em revista as nossas reminiscências, veremos quantos fatos autênticos, dessa ordem, sem que os percebêssemos convenientemente, se deram conosco, não só de noite, durante o sono, senão também de dia e em completo estado de vigília. Outrora consideravam tais fatos como sobrenaturais e maravilhosos e os atribuíam à magia e à feitiçaria; hoje, os incrédulos os classificam como um produto da imaginação; desde que, porém, a ciência espírita nos forneceu meios de explicá-los, ficou-se sabendo como eles se produzem e que pertencem à classe dos fenômenos naturais.
Livro: O Que é o Espiritismo – Allan Kardec.

segunda-feira, 25 de julho de 2016

Respondo Al Ne Justa Kritikulo – Zamenhof.


Ne pensis mi respondi la “kritikon “
de l’ homo, kiu diras, ke la lingvo
farita arte, kun la cel’ humana,
jam mortis kiel venko de l’ naturo;
sed kiel diris unu el l’ amikoj,
respondi oni devas, se utile
por bono de l’ afero sankta estas.
Do mi memorigante la laborojn
de la samideanoj faraditajn,
demandas: “Ĉu la lingvo Esperanto
ne konas la doloron, dramon, ĝojon,
esperon, lukton, stilon, belajn verkojn?
Ĉu ĝi aspekton havas nenaturan?”
Ho, vi amikoj, kiuj bone scias,
ke nia lingvo vivas, kreskas, sentas,
internan senson kaj ideon havas,
decidu mem, ĉu tiu kritikisto
la rajton havas tiel nin ofendi?
Pardonu lin estonta la homaro:
ĉar li ne sciis, ke li tre eraras.
Vivadas kaj vivados Esperanto,
trezoro ja neelĉerpeble riĉa
de sentoj, pensoj, laŭnatura arto!

17/10/1943 - L. L. Zamenhof.
Libro: Voĉoj de Poetoj el la Spirita Mondo.
Francisco Valdomiro Lorenz
 

CONFIA - Emmanuel


Se a provação te busca,
Não reclames. Confia.

Tudo na evolução
Sofre pra expandir-se.

Ante os punhais da rocha
Faz-se a fonte mais pura.

A rosa vem à luz
No colo do espinheiro.

Dentro da própria dor,
A alegria renasce.

Depois da meia-noite,
Rebrilha o amanhecer.

Livro: Crer e Agir.
Emmanuel e Irmão José
Chico Xavier e Carlos A. Baccelli.

sábado, 23 de julho de 2016

Jubilosamente – Joanna de Ângelis.

Tens o cérebro sob a ação das preocupações que dominam em círculo de fogo.
Trazes o sentimento macerado por angústias que não relatas.
Estás com a alma açoitada por vendavais de agonia que se sucedem, ininterruptamente.
Sais de um testemunho, e, ao invés de liberação, já te vês enfrentando novos e dolorosos desafios.
Pedem-te, porém, que sorrias e superes estes momentos de provações, impondo-te insensibilidade, indiferença emocional.
Renasceste crucificado nas provações redentoras e não tens ainda direito à plenitude, à marcha serena daqueles que se venceram a si próprios.
A existência terrestre, no entanto, é assim mesmo.
Todos avançam a contributo da aflição, que lhes constitui o recurso valioso graças ao qual a falência moral se torna mais difícil.
Certamente, há aqueles que sob a injunção do sofrimento rebelam-se, parecendo piorar a própria situação.
Não obstante, já travaste contato consciente com a Vida e sabes que apenas te sucede aquilo que é de melhor para o teu progresso espiritual.
Desse modo, jubilosamente carrega tua cruz invisível, guardando a certeza de que as duas traves penosas, se conduzidas com amor, converter-se-ão em asas de luz que te erguerão deste mundo áspero para as regiões da felicidade.
***
Ausculta os reais vitoriosos da Terra, e perceberás que o holocausto deles é o estímulo para o teu prosseguimento afervorado.
Joana d’Arc, quando começava a arder na fogueira, ergueu-se acima dos seus inquisidores e experimenta a libertação plena.
Jan Huss, enquanto era queimado pelo concílio de Constança, inaugurou a era do livre exames da Escrituras, tornando-se mártir para todo o sempre.
Jerônimo de Praga, seu discípulo, seguindo-lhes empós no drama das labaredas, depois de uma prolongada existência rica de sabedoria, abriu espaços com a morte para que a vida dos homens fosse iluminada pela fé racional.
São inúmeros os heróis da renúncia e dos ideais de engrandecimento humano.
***
A evolução dos homens torna-se possível através das vertentes do amor, que santifica, que estimula ao progresso, ou do sofrimento, que desperta para as responsabilidades mal consideradas.
A dor não representa maldição divina antes significa recurso educativo, inevitável.
Não te entristeças, pois, porque te encontres lanhado pelos látegos do sofrimento, enquanto o festival dos sorrisos, em torno de ti, constitui uma constante que não fruis.
Afinal, o teu, não é mestre dos triunfos terrenos, porém, o Herói Silencioso da Cruz, o Excelente Triunfador da sepultura vazia.
Jubilosamente prossegue e não te perturbes com nada, enquanto transcorra a tua vilegiatura carnal.
Livro: Momentos de Harmonia.
Joanna de Ângelis / Divaldo Franco.

sexta-feira, 22 de julho de 2016

Al La Mondo - Antônio Nobre.


La ter’ abismo estas de la ploro,
de l’ amarec’ la val’ , laŭ la Psalmisto;
marĉplena lando, koto sen rezisto,
naŭzanta per la verma putrodoro.

Sed por la grandaj bonoj, por l’ ekzisto
de perfektec’, kaj por la lum-valoro
bezonas ni la karnon, por laboro,
kaj la martelon skulptan de l’ artisto.

Ho Tero, tre trankvile mi vin benas,
ĉar el doloro via mi flugvenas
al la loĝejo kun la lum-abundoj;

altigas, savas nin via severo,
sed vi restadas de l’ mallum’ karcero,
malgaja mondo de pusantaj vundoj.

Antônio Nobre.
Libro:Voĉoj de Poetoj el la Spirita Mondo.
Francisco Valdomiro Lorenz.
Antônio Nobre, portugala
poeto, aŭtoro de la libroj
Sola kaj Adiaŭoj, aperintaj
en 1902. Li mortis 34-jara en Porto.

Renovação – Martins Peralva.

Brilhe a vossa luz
O supremo objetivo do homem, na Terra, é o da sua própria renovação.
Aprender, refletir e melhorar-se, pelo trabalho que dignifica — eis a nossa finalidade, o sentido divino de nossa presença no mundo.
Descendo o Cristo das esferas de luz da Espiritualidade Superior à Terra, teve por escopo  orientar a Humanidade na direção do aperfeiçoamento.
 “Brilhe a vossa luz” - eis a palavra de ordem, enérgica e suave, de Jesus, a quantos Lhe herdaram o patrimônio evangélico, trazido ao mundo ao preço do Seu próprio sacrifício.
A infinita ternura de Sua Angelical Alma sugere-nos, incisiva e amorosamente, o esforço  benéfico: “Brilhe a vossa luz.” O interesse do Senhor é o de que os Seus discípulos, de ontem, de hoje e de qualquer  tempo, sejam enobrecidos por meio de uma existência moralizada, esclarecida, fraterna.
O Evangelho aí está, como presente dos céus, para que o ser humano se reflete com as suas bênçãos, se inunde de suas luzes, se revigore com as suas energias, se enriqueça com os seus ensinos eternos.
O Espiritismo, em particular, como revivescência do Cristianismo, também aí está, ofertando-nos os oceânicos tesouros da Codificação.
Pode-se perguntar: De que mais precisa o homem, para engrandecer-se, pela cultura e pelo sentimento, se lhe não faltam os elementos de renovação, plena, integral, positiva?...
Que falta ao homem moderno, usufrutuário de tantas bênçãos, para que “brilhe a sua luz?
A renovação do homem, sob o ponto de vista moral, intelectual e espiritual, é difícil, sem dúvida.
Mas é francamente realizável.
É indispensável, tão somente, disponha-se ele ao esforço transformativo, com a consequente utilização desses recursos, desses meios, desses elementos que o Evangelho e o  Espiritismo lhe fornecem exuberantemente, farta e abundantemente, sem a exigência de qualquer  outro preço a não ser o preço de uma coisa bem simples: a boa vontade. A disposição de auto-melhoria.
O homem, para renovar-se, tem que estabelecer um programa tríplice, como ponto de partida para a sua realização íntima, para que “brilhe a sua luz”, baseado no Estudo, na Meditação  e no Trabalho.
ESTUDO: - O estudo se obtém através da leitura do Evangelho, dos livros da Doutrina Espírita e de quaisquer obras educativas, religiosas ou filosóficas, que o levem a projetar a mente na direção  dos ideais superiores.
O estudo deve ser meditado, assimilado e posto em prática, a fim de que se transforme em frutos de renovação efetiva, positiva e consciente: “Conhecereis a Verdade e a Verdade vos fará livres.”
MEDITAÇÃO: - A meditação é o ato pelo qual se volve o homem para dentro de si mesmo, onde encontrará a Deus, no esplendor  de Sua Glória, na plenitude do Seu  Poder, na ilimitada expansão do Seu Amor: “O Reino de Deus está dentro de vós.” Através da prece, na meditação, obterá o homem a fé de que necessita para a superação de suas fraquezas e a esperança que lhe estimulará o bom ânimo, na arrancada penosa, bem como o  conforto e o bem-estar que lhe assegurarão, nos momentos difíceis, o equilíbrio interior.
Na meditação e na prece haurirá o homem a sua própria tonificação, o seu  próprio  fortalecimento moral e a inspiração para o bem.
TRABALHO: - O trabalho, em tese, para o ser em processo de evolução, configura-se sob três aspectos principais: material, espiritual, moral. Através do trabalho material, propriamente dito, dignifica-se o homem no cumprimento dos deveres para consigo mesmo, para com a família que Deus lhe confiou, para com a sociedade de que participa. Pelo trabalho espiritual, exerce a fraternidade com o próximo e aperfeiçoa-se no  conhecimento transcendente da alma imortal.
No campo da atividade moral, lutará, simultaneamente, por adquirir qualidades elevadas, ou, se for o caso, por sublimar aquelas com que já se sente aquinhoado. Em resumo: aquisição, cultivo e ampliação de qualidades superiores que o distanciem, em definitivo, da animalidade em que jaz há milênios de milênios: “É na vossa perseverança que ganhamos as vossas almas.”
A estrada é difícil, o caminho é longo, repleto de espinhos e pedras, de obstáculos e, limitações, porém, a meta é perfeitamente alcançável. Uma coisa, apenas, é indispensável: um pouco de boa vontade. Boa vontade construtiva, eficiente, positiva.
O resto virá, no curso da longa viagem...
Livro: Estudando o Evangelho - Martins Peralva.

Oração

Oração

Nossa Receita