quinta-feira, 30 de junho de 2016

TENDO MEDO (II) - Emmanuel


Há muitas pessoas que se acusam pobres de recursos para transitar no mundo como desejariam. E recolhem-se à ociosidade, alegando o medo da ação.
Medo de trabalhar e medo de servir.
Medo de fazer amigos e de desapontar.
Medo de sofrer e medo da alegria.
Medo da incompreensão e medo da dor.
E alcançam o fim do corpo, como sensitivas humanas, sem o mínimo esforço para enriquecer a existência.
Na vida, agarram-se ao medo da morte.
Na morte, confessam o medo da vida.
E, a pretexto de serem menos favorecidas pelo destino, transformam-se, gradativamente, em campeões da inutilidade e da preguiça.
Se recebestes mais rude tarefa no mundo, não te atemorizes à frente dos outros e faze dela o teu caminho de progresso e renovação.
Por mais sombria seja a estrada a que foste conduzido, enriquece-a com a luz do teu esforço, porque o medo - ensina Jesus - não é justificativa aceitável.
Emmanuel / Chico Xavier
Livro: Fonte Viva.

Cartões - 90










terça-feira, 28 de junho de 2016

Embriaguez - Miramez

0848/LE
Usando da embriaguez para cometer atos reprováveis, o ser humano, ao invés de cometer uma falta, verdadeiramente comete duas, por usar conscientemente de um estado provocado pela bebida e incorrendo em outra falta. É a escola do desculpismo, tão velha quanto o mundo, e existente entre todos os povos.
Até as leis dos homens acoberta um pouco a pessoa que se entregou ao vício, atenuando as suas faltas, com a justificativa do estado inconsciente em que se encontra. No entanto, as leis espirituais os corrige como culpados por dupla falta, porque os viciados têm plena consciência, quando põem o primeiro pé na estrada das aberrações.
Estamos falando às almas que já conhecem um pouco da verdade, que estão sendo chamadas todos os dias para o trabalho que devem fazer consigo mesmas. O mundo espiritual nunca exige a iluminação por passe de mágica, mas que as pessoas conhecedoras de algumas verdades espirituais passem a se esforçar todos os dias para melhorar. Neste esforço, estaremos juntos como companheiros para animá-los na subida de todos os "calvários". Não escrevemos para os ignorantes de certas verdades, mas sim para os que já a conhecem e se encontram cansados de ficarem só em teorias.
Observemos o que fala o apóstolo João, no capítulo nove, versículo quarenta e um:
Respondeu-lhes Jesus:
Se fôsseis cegos, não teríeis pecado algum; mas, porque agora dizeis: nós vemos, subsiste o vosso pecado.
Observa na fala do Mestre que o que desconhece a lei não tem pecado, entretanto, o pregador da lei que comete a falta, embora ensine aos outros a não cometê-la, é punido duplamente nas suas excentricidades. Não se deve usar das desculpas para servir de instrumento para as trevas, pois o preço destas desculpas será muito grande e ter-se-á de pagar ceitil por ceitil, por vezes até em corpos incapacitados e com a mente conturbada, para exercitar o bem e entendê-lo. Eis a maior das provações e expiações, nos caminhos que percorrem no mundo os faltosos diante da lei de amor!
Ainda existe embriaguez pior que a da bebida forte: é a do ódio, da inveja, do ciúme, do orgulho, da vaidade e do egoísmo, por deixar a pessoa em perfeita lucidez para escolher, e a escolha é quase sempre a pior. Aos espíritas, nossos companheiros de tarefas com Jesus, lembramos que estamos sendo chamados e escolhidos para entender a verdade e passarmos à sua vivência. Mesmo que as lutas conosco mesmos sejam duras, não devemos deixar de lutar todos os dias, horas e minutos. Estamos vivendo em um fechamento de século em que podem acontecer grandes coisas, onde estará envolvida a humanidade inteira.
Meditemos nesta verdade, que ela pode e tem a força de nos inspirar para a nossa transformação interior, onde a luz de Deus começa a nascer para a glória da vida.
Livro: Filosofia Espírita – Vol. XVII
Miramez / João Nunes Maia.
Estudando O Livro dos Espíritos – Allan Kardec.
848. Servirá de escusa aos atos reprováveis o ser devida à embriaguez a aberração das faculdades intelectuais?
Não, porque foi voluntariamente que o ébrio se privou da sua razão, para satisfazer a paixões brutais. Em vez de uma falta, comete duas.

segunda-feira, 27 de junho de 2016

Todos ricos – Maria Dolores.


Não digas, alma irmã, que nada tens
Ante a dificuldade em que te recriminas,
Na grandeza do mundo em que Deus nos resguarda,
Olha o valor das cousas pequeninas.

Reflete na semente diminuta
Na terra áspera e seca que se enfresta,
Apesar do deserto que a rodeia
Pode ser o princípio da floresta.

Pensa na gota medicamentosa
Na convulsiva dor de impacto violento,
Simples gota, lembrando pétala de orvalho,
Suprimindo o poder do sofrimento.

Fita a mansão moderna alçada ao brilho
Da Terra enobrecida e renovada,
Quanto é pobre de força e segurança
Sem a presença humilde da tomada.

Se, um dia, atravessaste a noite espessa,
Tateando sem rumo dentro dela,
Conheces quanto aflige a escuridão
E quanto vale a chama de uma vela.

Não digas, alma irmã, que te sentes inútil,
Não existem no amor donativos plebeus,
Tens contigo a riqueza da esperança,
O sorriso da paz e a proteção de Deus.

Livro: Coração e Vida.
Maria Dolores / Chico Xavier.

Lecioneto / pequena lição 55

*maiz/o 🍁
1 Sp. de zeo (Zea mays el poacoj) de unujara, monoika herbo 2—4m alta, kun grandaj folioj, kun apeksa virseksa infloresko (paniklo) k kun akselaj, ofte unuopaj inseksaj infloreskoj en formo de dikaj, cilindraj spikoj ĉirkaŭitaj de larĝaj brakteoj; origina el C Ameriko, tre vaste kultivata por la amelriĉaj, malmolaj grajnoj, kiuj estas grava greno uzata por besta k homa nutradoj: kaĉo, flokoj, faruno, manĝoleo, furaĝo ktp: kampo de maizoK.
2 👥 La grajnoj de maizo 1. polento.
krevmaizo, pufmaizo 🍴 maizgrajnoj, krevigitaj per rostado, sukeritaj aŭ salitaj.
         http://vortaro.net/
         Plena Ilustrita Vortaro de Esperanto – PIV.
Milho s.m. 1 (bot.: planta poácea, Zea mays) maizo. 2 (infrm.) mono. ¨ flocos de milho (cul.) maiz-flokoj. milho verde (agric.) freŝa (ou nematura ou juna) maizo.
Milho-pipoca s.m. (pl.: milhos-pipocas, milhos-pipoca) (bot.: Zea mays) puf-maizo, krev-maizo. Vd. pipoca.
Dicionário de Túlio Flores
Português-Esperanto / Esperanto-Português

domingo, 26 de junho de 2016

KONSILOJ - Stanislav Schulhof.


Se vi volas ĝui pacon de la koro,
ne liveru vin al pesimismangoro;
ne malĝoju tre pro perdo aŭ doloro;
pripensadu bone l’ agojn kaj parolojn;
kulturadu ĉiam helpon kaj konsolojn;
ŝatu de l’ Naturo fortojn kaj simbolojn.
Al la hundoj perlojn vi neniam ĵetu,
malpurec-piedoj ilin ke ne tretu
aŭ en la kotaĵojn ilin ne enmetu.
Ne liveru manĝon al malam’, kolero;
havu paciencon eĉ en mallibero
kaj distingu inter falsa ŝajn’ kaj vero.
Dum surtera vivo pensu jam pri morto;
bonkorecon spiru ĉiu via vorto,
kaj vin akompanos ĉiam bona sorto.

9/6/1944 - Stanislav Schulhof.
Libro: Voĉoj de Poetoj el la Spirita Mondo.
Francisco Valdomiro Lorenz.

MINISTÉRIOS – Emmanuel

Cada um administre aos outros o dom como o recebeu, como bons despenseiros da multiforme graça de Deus. I PEDRO, 4:10.
Toda criatura recebe do Supremo Senhor o dom de servir como um ministério essencialmente divino.
Se o homem levanta tantos problemas de solução difícil, em suas lutas sociais, é que não se capacitou, ainda, de tão elevado ensinamento.
O quadro da evolução terrestre apresenta divisão entre os que denominais “magnatas” e “proletários”, porqüanto, de modo geral, não se entendeu até agora no mundo a dignidade do trabalho honesto, por mais humilde que seja.
É imprescindível haja sempre profissionais de limpeza pública, desbravadores de terras insalubres, chefes de fábricas, trabalhadores de imprensa.
Os homens não compreenderam, ainda, que a oportunidade de cooperar nos trabalhos da Terra transforma-os em despenseiros da graça de Deus.
Chegará, contudo, a época em que todos se sentirão ricos. A noção de “capitalista” e “operário” estará renovada. Entender-se-ão ambos como eficiente servidores do Altíssimo.
O jardineiro sentirá que o seu ministério é irmão da tarefa confiada ao gerente da usina.
Cada qual ministrará os bens recebidos do Pai, na sua própria esfera de ação, sem a idéia egoística de ganhar para enriquecer na Terra, mas de servir com proveito para enriquecer em Deus.
Livro: Caminho, Verdade e Vida.
Emmanuel / Chico Xavier.

sábado, 25 de junho de 2016

La Malamo / O Ódio.

La Malamo
10. Amu unuj aliajn, kaj vi estos feliĉaj. Prenu precipe kiel taskon ami tiujn, kiuj inspiras al vi indiferentecon, malamon kaj malŝaton. La Kristo, kiun vi devas fari via modelo, donis al vi ekzemplon de tiu sindonemo; misiisto de amo, li amis en tia grado, ke li fordonis sian sangon kaj sian vivon. La ofero, kiu vin devigas ami la homojn, kiuj vin insultas kaj persekutas, estas dolora; sed ĝuste ĝi lokas vin super ili; se vi ilin malamus, kiel ili malamas vin, vi ne valorus pli ol ili; tia amo estas la senmakula hostio, kiun vi oferas al Dio sur la altaro de viaj koroj, hostio de agrabla odoro kaj kies parfumo suprenflugas al Li.
Kvankam la leĝ de amo ordonas, ke ĉiu amu sendistinge ĉiujn siajn fratojn, ĝi tamen ne kirasas la koron kontraŭ la malbonaj agoj; ĝi, kontraŭe, trudas la plej doloran provon, kaj mi tion ja scias, ĉar en mia lasta surtera ekzistado mi spertis tian torturon; sed Dio estas ĉie kaj punas en la nuna kaj en la alia vivo tiujn, kiuj malobeas la leĝon de amo. Ne forgesu, miaj karaj filoj, ke la amo proksimigas al Dio, kaj la malamo malproksimigas de Li. - Fénelon. Bordeaux, 1861.
Libro: La Evangelio laŭ Spiritismo – Allan Kardec, ĉap. XII.
O Ódio
10. Amai-vos uns aos outros, e sereis felizes. Tratai sobretudo de amar aos que vos provocam indiferença, ódio e desprezo. O Cristo, que deveis tornar o vosso modelo, deu-vos o exemplo dessa abnegação: missionário do amor, amou até dar o sangue e a própria vida. O sacrifício de amar os que vos ultrajam e perseguem é penoso, mas é isso, precisamente, o que vos torna superiores a eles. Se vós os odiásseis como eles vos odeiam, não valeríeis mais do que eles. É essa a hóstia imaculada que ofereceis a Deus, no altar de vossos corações, hóstia de agradável fragrância, cujos perfumes sobem até Ele.
Mas embora a lei do amor nos mande amar indistintamente a todos os nossos irmãos, não endurece o coração para os maus procedimentos. É essa, pelo contrário, a prova mais penosa. Eu o sei, pois durante minha última existência terrena experimentei essa tortura. Mas Deus existe, e pune, nesta e na outra vida, os que não cumprem a lei do amor. Não vos esqueçais, meus queridos filhos, de que o amor nos aproxima de Deus, e o ódio nos afasta d'Ele. - Fénelon. Bordeaux, 1861.
Livro: O Evangelho Segundo o Espiritismo – Allan Kardec, cap. XII.

Referente ao problema da dor / Rilate la problemon de doloro.

243 - Todos os Espíritos que passaram pela Terra tiveram as mesmas características evolutivas, no que se refere ao problema da dor?
Todas as entidades espirituais encarnadas no orbe terrestre são Espíritos que se resgatam ou aprendem nas experiências humanas, após as quedas do passado, com exceção de Jesus-Cristo, fundamento de toda a verdade neste mundo, cuja evolução se verificou em linha reta para Deus, e em cujas mãos angélicas repousa o governo espiritual do planeta, desde os seus primórdios.
Livro: O Consolador – Emmanuel / Chico Xavier.
243 - Rilate la problemon de doloro, ĉu ĉiuj spiritoj pasintaj sur la Tero havis samajn evoluajn karakterizaĵojn?
Ĉiuj spiritaj estaĵoj enkarniĝintaj sur la terglobo estas Spiritoj, kiuj sin elaĉetas aŭ lernas el la homaj spertoj, post la pasinttempaj faloj, escepte de Jesuo Kristo, fundamento de la tuta vero en tiu ĉi mondo, kies evoluo efektiĝis laŭ rekta linio al Dio, kaj en kies puregaj manoj sidas la spirita regado de la Tero, ekde ties komenco.
Libro: La Konsolanto – Emmanuel / Chico Xavier.

quinta-feira, 23 de junho de 2016

Lecioneto / pequena lição - 54

neces/ej/o 所, Ĉambro aŭ aparta budo por feki kaj urini. AN toilet, WC, (usone) bathroom FI vessa, käymälä FR toilettes f.pl., salle de bain f., salle de bains f.; (Fr.) cabinets m.pl., lavabos m.pl., w.-c. m.pl., vécés f.pl. GE die Toilette, das Klo(sett), das WC HE bejt ŝimuŝ, ŝerutim HI servicio(s) m.(pl.), retrete m., váter m. HU WC, vécé IT gabinetto JA toire NE toilet o., WC m. PL ? PT sanitário, toalete RU tualet, ubornaja SV toalett KP banĉambro,neceseja papero = necespapero, neceseja seĝo = necesseĝo = necesujo.
ban/ĉambr/o Ĉambro, kie oni banas, duŝas aŭ lavas sin; ofte kunigita kun necesejo. AN bathroom FI kylpyhuone FR salle de bain f., salle de bains f. GE das Bad, das Badezimmer HE (ĥadar-)ambatja HI cuarto m. de baño HU fürdőszoba IT (stanza da) bagno JA jokuŝicu, bâsurûmu NE badkamer v.(m.) PL ? PT banheiro RU vannaja (komnata) SV badrum KP necesejo RIM Eblas diri ankaŭ "banejo"; tiu vorto signifas ankaŭ apartan domon por bani.
HEJMA VORTARO
Vortareto de hejmaĵoj en Esperanto.

Canção da Esperança – Maria Dolores.


Sofres sob pressão de amargas crises
E atravessas momentos infelizes,
Qual se andasses por senda estranha e má;
Mas embora sem forças a que te arrimes,
Não te detenhas, nem te desanimes,
— Outro dia virá.

Se caíste na estrada, ergue-te e lida,
Trabalhar e esquecer é a grande lei da vida,
Porque o tempo a servir, tudo renovará;
A todo ser que chora, a quem luta e se cansa,
Eis que o mundo repete a canção da esperança:
— Outro dia virá.

Olha o tronco podado, amplamente despido,
O solo massacrado, o campo desvalido,
Fita o charco onde está...
Mostram, por fora, a mágoa que os encerra
Mas guardando, por dentro, a mensagem da Terra:
— Outro dia virá.

Desse modo, igualmente, alma querida e boa,
Carrega a própria cruz, ama, serve e perdoa,
O caminho de Cristo é o mais belo que há;
Deus é o Supremo Amor e a Suprema Beleza,
E nos diz pelo Bem, de surpresa em surpresa:
— Outro dia virá.

Livro: Coração e Vida.
Maria Dolores / Chico Xavier.

quarta-feira, 22 de junho de 2016

Predisposições Instintivas - Miramez

0845/LE
As predisposições instintivas do Espírito, quando toma um corpo físico, são as qualidades boas ou más do Espírito. Vivendo com essa alma, podemos reconhecer a sua estrutura espiritual.
Quando se fala que o ambiente em que o homem vive o influencia, trata-se de uma parcela diminuta, por vezes nada. Quando o Espírito tem sua evolução voltada para o bem, dá-se o contrário: quanto mais instigada para o mal, mais faz o bem, por já ter se conscientizado dos frutos que o amor produz.
O Espírito recebe o corpo que merece e ele se organiza de acordo com a estrutura do ser espiritual que nele vai reencarnar. Se atiramos um diamante no lamaçal, ele não deixa de ser diamante; logo que for dali retirado, mostrará o seu brilho e consistência.
A vida na Terra é como que uma escola permanente, onde a alma aprende, passo a passo, as primeiras letras do abecedário espiritual, na vivência. Os últimos toques de libertação são, pois, nos liames da carne, provando suas qualidades para novas caminhadas que a gradação das revelações irá mostrando aos que nela se encontram aprendendo.
O Espírito mais adiantado, onde quer que esteja, mostra a sua elevação espiritual. A verdade é para ser conhecida por todos os seres. Deus não tem privilegiados. As próprias entidades angelicais já passaram pelos caminhos que os homens estão trilhando. Esta verdade pode nos dar mais esperança e animar-nos cada vez mais nas lutas da carne.
Quando as paixões inferiores arrastam os homens para determinadas práticas repreensíveis, é porque são Espíritos ainda ligados a elas por natureza íntima. Não podemos culpar as almas desencarnadas que têm as mesmas paixões, porque elas se aproximam das criaturas por afinidade de pensamentos e obras, nas mesmas faixas de vida.
Não há invasão do domicílio da alma, sem convite.
Quando observamos almas unidas, é pela força da simpatia.
Os iguais se congregam no mesmo clima que respiram; isso é a justiça em plena coerência com os princípios elaborados por Deus, de que somente recebemos o que merecemos. Não há arrastamento irresistível de alma para alma.
O que buscamos pelos processos da vida, encontramos pelos processos da justiça de Deus. É o "pedi e obtereis", é o "batei e abrir-se-vos-á".
A nossa predisposição é, pois, condicionamento de vidas e mais vidas que tivemos, alimentando idéias e acumulando forças, por vezes negativas, que sobem à mente. Daí, lhe darmos o nome de predisposição instintiva, que a mente positiva recebe do centro da consciência e transforma em atos, até que o Espírito descubra a fonte dos seus sofrimentos e passe a se corrigir, certo de que o Cristo constitui força indispensável, que oferece os meios de combater esses miasmas que turvam a alma e a cega.
A Doutrina Espírita é o Cristo de volta, como o fez no terceiro dia após o drama do Calvário, de modo que os Seus braços de luz possam alcançar a humanidade inteira.
As religiões do passado são como diz Paulo aos Romanos, no capítulo dois, versículo vinte e três: Tu, que te glorias na lei, desonras a Deus pela transgressão da lei?
As velhas religiões que se esqueceram da verdade, glorificam a lei e pregam, de certo modo, as leis de Deus, mas esquecem de praticá-las no dia-a-dia, desonrando a Deus pela vivência.
Mas, Deus e Jesus mostram a elas por meios variáveis que já é época de viver o que se prega, sendo o exemplo a luz da palavra. Agora, com o despertamento mesmo parcial das criaturas, podemos dizer que querer é poder. Querendo, poderemos alcançar o entendimento, que Jesus nos trouxe pela vontade de Deus.
Livro: Filosofia Espírita – Volume XVII
Miramez / João Nunes Maia. Miramez
Estudando O Livro dos Espíritos – Allan Kardec.
845. Não constituem obstáculos ao exercício do livre-arbítrio as predisposições instintivas que o homem já traz consigo ao nascer?
As predisposições instintivas são as do Espírito antes de encarnar. Conforme seja este mais ou menos adiantado, elas podem arrastá-las à prática de atos repreensíveis, no que será secundado pelos Espíritos que simpatizam com essas disposições. Não há, porém, arrastamento irresistível, uma vez que se tenha a vontade de resistir. Lembrai-vos de que querer é poder.

terça-feira, 21 de junho de 2016

TUAS DIFICULDADES - Emmanuel

Imagina como seria difícil de suportar um educandário em que os alunos tão-somente soubessem chorar na hora do ensino.
Consideremos, pois, a Terra nossa escola multimilenária, cumprindo-nos receber-lhe as dificuldades por lições úteis e objetivas.
Diante dos obstáculos, ninguém precisa fixar-se no lado escuro que apresentem.
Um náufrago, ao sabor das ondas, não se lembrará de examinar o lodo no fundo das águas, mas refletirá no melhor meio de alcançar a terra firme.
Minuto de queixa é minuto perdido, arruinando talentos preciosos para a solução dos problemas.
Toda prova aparece para elastecer-nos a força e aperfeiçoar-nos a experiência.
Quase toda dificuldade implica sofrimento e sofrimento, mormente os que não criamos, redunda em renovação e auxílio para nós mesmos.
Encaremos os obstáculos da vida sem receio. Cada qual deles nos traz mensagem determinada: um desafia a paciência; outro pede amor...
Compreende e suporta, constrói e beneficia.
Tuas dificuldades - tuas bênçãos.
Emmanuel / Chico Xavier
Livro: Coragem.

Feliĉaj estas la malriĉaj en Spirito - Stanislav Schulhof

Feliĉaj estas la malriĉaj en Spirito - Stanislav Schulhof
(Laŭ la Evangelio, S. Mateo, 5 a Ĉapitro)

En la ĉielregno estos tre feliĉaj
la animoj, kiuj sentas sin malriĉaj
de la vera Scio, ĝian panon petas
kaj la ricevitajn pecojn ne forĵetas,
sed pro ili dankas en la nom’ de Dio,
ne trompate de l’ riĉeca iluzio
de la materialisma hipotezo,
malproksima de la granda ver-sintezo.
Se hodiaŭ ili ploras kaj suferas,
ili konsoliĝas kaj ne malesperas,
komprenante de la Karmo la justecon
kaj de ĝia funkciado ĉian specon.
La justecon malsatante, soifante,
ili kompatadas, homojn pacigante;
ĉiam justaj kaj pacemaj, kore puraj,
ili Dion en mirakloj, la naturaj
vidos, kaj pro siaj agoj karitataj
ili estos filoj ja de Di’nomataj.

9/1/1944 - Stanislav Schulhof
Livro: Voĉoj de Poetoj el la Spirita Mondo.
Francisco Valdomiro Lorenz.

domingo, 19 de junho de 2016

Bona por ridi - 5






Prática do Bem – Emmanuel

“Porque assim é a vontade de Deus que, fazendo o bem, tapeis a boca à ignorància dos homens loucos.” — (1ª EPÍSTOLA A PEDRO, capítulo 2, versículo 15.)
Á medida que o espírito avulta em conhecimento, mais compreende o valor do tempo e das oportunidades que a vida maior lhe proporciona, reconhecendo, por fim, a imprudência de gastar recursos preciosos em discussões estéreis e caprichosas.
O apóstolo Pedro recomenda seja lembrado que é da vontade de Deus se faça o bem, impondo silêncio à ignorância e à loucura dos homens.
Uma contenda pode perdurar por muitos anos, com graves desastres para as forças em litígio; todavia, basta uma expressão de renúncia para que a concórdia se estabeleça num dia.
No serviço divino, é aconselhável não disputar, a não ser quando o esclarecimento e a energia traduzem caridade. Nesse caminho, a prática do bem é a bússola do ensino.
Antecedendo qualquer disputa, convém dar algo de nós mesmos. Isso é útil e convincente.
O bem mais humilde, é semente sagrada.
Convocado a discutir, Jesus imolou-se.
Por se haver transformado ele próprio em divina luz, dominou-nos a treva da ignorância humana.
Não parlamentou conosco. Ao invés disso, converteu-nos.
Não reclamou compreensão. Entendeu a nossa loucura, localizou-nos a cegueira e amparou-nos ainda mais.
Livro: Caminho, Verdade e Vida.
Emmanuel / Chico Xavier.
 

Que espera o homem desencarnado? / Kion la elkarniĝinta homo esperas?

148 Que espera o homem desencarnado, diretamente, nos seus primeiros tempos da vida de além-túmulo?
A alma desencarnada procura naturalmente as atividades que lhe eram prediletas nos círculos da vida material, obedecendo aos laços afins, tal qual se verifica nas sociedades do vosso mundo.
As vossas cidades não se encontram repletas de associações, de grêmios, de classes inteiras que se reúnem e se sindicalizam para determinados fins, conjugando idênticos interesses de vários indivíduos? Aí, não se abraçam os agiotas, os políticos, os comerciantes, os sacerdotes, objetivando cada grupo a defesa dos seus interesses próprios?
O homem desencarnado procura ansiosamente, no Espaço, as aglomerações afins com o seu pensamento, de modo a continuar o mesmo gênero de vida abandonado na Terra, mas, tratando-se de criaturas apaixonadas e viciosas, a sua mente reencontrará as obsessões de materialidade, quais as do dinheiro, do álcool, etc., obsessões que se tornam o seu martírio moral de cada hora, nas esferas mais próximas da Terra.
Daí a necessidade de encararmos todas as nossas atividades no mundo como a tarefa de preparação para a vida espiritual, sendo indispensável à nossa felicidade, além do sepulcro, que tenhamos um coração sempre puro.
Livro: O Consolador.
Emmanuel / Chico Xavier.
148. – Kion la elkarniĝinta homo esperas jam en la unuaj tempoj de sia transtomba vivo?
– La elkarniĝinta animo nature serĉas siajn aktivecojn preferatajn en la rondoj de la materia vivo, obee al la alligiteco, ĝuste tiel, kiel okazas en la socioj de via mondo.
Ĉu viaj urboj ne estas plenaj de asocioj, kluboj kaj tutaj klasoj kuniĝantaj kaj sindikataniĝantaj kun difinitaj celoj, por komunaj interesoj de pluraj individuoj? Ĉu tie ne brakumas unu la alian la aĝiotistoj, la politikistoj, la komercistoj, la pastroj, ĉiu grupo, celanta defendi siajn proprajn interesojn?
La elkarniĝinta homo aflikte serĉas, en la Spaco, la grupojn pensantajn kiel li mem, por ke li povu daŭrigi la saman specon de vivo, kiun li forlasis sur la Tero. Tenante tamen pri pasiaj, malvirtaj estuloj, ilia menso retrovos materiajn obsedojn, nome tiujn de la mondo, alkoholaĵo, ktp, obsedojn fariĝantajn ilia ĉiumomenta morala turmentego, en la sferoj plej proksimaj al la Tero.
De tio la neceso, ke ni rigardu ĉiujn niajn surterajn aktivecojn, kiel taskon preparan por la spirita vivo, estante nepre necesa por nia transtomba feliĉo, ke ni tenu nian koron ĉiam puran.
Libro: La Konsolanto.
Emmanuel / Chico Xavier.

HO POLUJO! - Antoni Grabowski


Polujo, patrolando de Sufero!
Ĝis kiam fluos de gefiloj ciaj
amaraj larmoj, kaj la malespero
tentados cin per kruelaĵoj siaj?!

Ho Dio, kiam via mano benos
patrujon mian, redonante pacon?!
Ha! kiam de sanig’ la tago venos?!
Ĉu ne meritas ĝi la bendonacon?!

Martira lando! La sufer’ purigu
vilaĝojn, urbojn ciajn, el eraroj,
l’ animojn de l’ nacio unuigu
kaj ĝin konduku re al gloraj faroj!

7/8/1943 - Antoni Grabowski
Libro: Voĉoj de Poetoj el la Spirita Mondo.
Francisco Valdomiro Lorenz.

sexta-feira, 17 de junho de 2016

Lecioneto / pequena lição - 53

Saĝ/a
1 Posedanta ĝustan juĝkapablon pro bone funkcianta menso k akirita sperto: pli bona estas saĝa malamiko, ol malsaĝa amikoZ; lernu juna, por esti saĝa maljunaZ; france saĝa, angle sovaĝaZ; kiu retenas siajn lipojn, estas saĝaX; saĝa hundo post la vundoZ; (sk. subst.) saĝa tenas aferon, malsaĝa esperonZ; saĝa scias, kion li diras—malsaĝa diras, kion li sciasZ. prudenta, sperta.
2 Karakterizata de tia eco ĉe la aludita(j) persono(j): maljunaj jaroj, sed ne saĝaj farojZ; se vi demandas, faru saĝajn demandojnZ; saĝaj spertoriĉaj vortojZ; la leono kun siaj grandaj saĝaj okuloj sidis […]Z; saĝa decido, konsiloB.
3 (ark.) Inteligenta: la infanoj estas tiel saĝaj, ke ili povoscias legi, antaŭ ol ili konas la literojn!Z. saĝe. En saĝa maniero: saĝe konduki siajn aferojn. saĝo. Kapablo ĝuste juĝi pri situacio k konduti laŭ tiu juĝo: Li donis al mi en la piedplaton pli da saĝo, ol vi havas en la kapoZ; ne ĉiam per aĝo mezuriĝas la saĝoZ; saĝo barbon ne atendasZ; mi konsiliĝis kun Bourlet, ĉar mi estimas lian praktikan saĝonZ; komuna saĝo diras al ni, ke […]Z; ĉiu iras, kiel saĝ’ al li dirasZ; vergo doloras, sed saĝon ellaborasZ; la homa saĝo; la (S)saĝo eterna; perdi la saĝon (momente konfuziĝi en siaj agoj).
Libro: Plena Ilustrita Vortaro de Esperanto – PIV
***
Saĝa  sensato, prudente, ajuizado, sisudo, criterioso, sapiente, sábio. saĝo 1 senso, sensatez. 2 propósito. 3 (fil.: uma das quatro virtudes cardeais) prudência. Vd. virto. 4 discernimento. saĝeco juízo, acerto, sabadoria, tino, prudência, discernimento. saĝulo sensato, prudente, ajuizado, sisudo, criterioso, sapiente, sábio. malsaĝa insensato, tolo, bobo, imbecil, néscio, tonto, disparatado, palerma. malsaĝaĵo loucura, insensatez (coisa de insensato), bobice, bobagem, bobeira. malsaĝeco insensatez (qualidade, estado de insensato), burrice, tolice, necedade, bobice, bobagem, bobeira. malsaĝiĝi perder o juízo. malsaĝulo insensato, tolo, bobo, imbecil, néscio, disparatado, desajuizado, tonto, pateta, pacóvio, palerma. ¨ natura saĝo tino, bom senso. plej saĝe com a máxima prudência: vi agis plej saĝe farante tion você agiu com a máxima prudência, ao fazer isso.
Libro: Dicionário de Túlio Flores
Português-Esperanto / Esperanto-Português

Oração

Oração

Nossa Receita