quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

O Valor da Amizade.

Diz a sabedoria popular que “quem tem um amigo tem um tesouro”. Um provérbio árabe ensina que “pode-se viver sem um irmão, mas não sem um amigo”.
Realmente, a amizade é muito necessária em nossa vida. É uma das maiores manifestações de amor; é esvaziamento e doação, que pode ser oferecida às pessoas queridas, amadas.
Quando amamos sinceramente alguém, devemos fazê-lo sem nenhum sentimento de posse. Nossa amizade deve ser sempre leal e desinteressada.
Normalmente, nosso amigo não é nosso parente, não tem nosso sangue e nem nosso nome. É apenas aquela pessoa a quem muito queremos e nos afinamos.
Com ele, aprendemos a amar, renunciando a todo desejo de posse. O verdadeiro amigo é aquele que está sempre pronto a doar. O bom amigo se conhece na adversidade, numa palavra de conforto, num conselho e na mão amiga, que sempre nos infunde a confiança e segurança.
Como é bom saber que o amigo nos aceita como somos, sem críticas nem censuras, e que, apesar de nossos erros e defeitos, está sempre pronto a nos compreender e a nos querer bem.
Doe sempre o melhor de si aos amigos, demonstrando-lhes o valor da amizade, mas nunca espere ser correspondido.
Lembre-se de Jesus, que nos amou com fidelidade e sem  limites. Mesmo diante da fraqueza de Judas, que relevou as próprias faltas, na hora do beijo supremo da traição, ainda assim o considerou amigo.
Releve também as faltas e os erros de seus amigos e cultive sempre a amizade, pois ela se assemelha a uma plantinha que precisa ser irrigada, adubada e tratada com afeto e carinho.
O verdadeiro amigo é uma benção divina, porque ele nos fortalece nas horas difíceis, nos estimula e nos incentiva ao crescimento e ao progresso.
Cultivar amizades sinceras é como amealhar paz, alegria e progresso.
Livro: SÂNDALO.
Sergito de Souza Cavalcanti.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Oração

Oração

Nossa Receita