terça-feira, 2 de setembro de 2014

COMUNICAÇÃO ENTRE ESPÍRITOS - Miramez

0282/LE
Entre os Espíritos há comunicação, e das mais perfeitas. Eles utilizam o fluido universal como veículo, o pensamento, depois a vontade, e a transmissão está feita.
A própria mediunidade é prova dessa verdade. O médium sintonizado com os seus guias espirituais recebe deles as orientações através da força das idéias, como sendo a telepatia muito conhecida dentre os homens, principalmente entre os estudiosos deste assunto.
Assim como o ar é veículo dos sons que emitis, o fluido cósmico ou éter cósmico, é o veículo dos pensamentos, e com mais perfeição, porque não encontra barreiras em parte alguma da criação de Deus.
A palavra é material dependendo dos órgãos físicos do corpo para se expressar no mundo, e os canais da fala ainda são limitados para maior clareza do Espírito.
Quando se está de posse de um livro, que é lido sem usar a palavra oralmente, não se faz uma transmissão direta da escrita para o entendimento do leitor? Pois bem, esse sistema é semelhante ao usado entre os Espíritos, mesmo em distâncias imensuráveis.
Na leitura do livro, esse processo é uma transmissão em circuito fechado, para nos comunicarmos com os companheiros desse modo, basta abrir o circuito.
O tempo nos ensinará esse método, que logo será uma realidade entre os homens. Muitos já se iniciam nesses rudimentos, exercitando todos os dias, em toda parte, a transmissão e a recepção dos pensamentos. Isso se dará com mais perfeição quando a moral tomar a dianteira da ciência, para que o coração possa controlar os impulsos inferiores e a razão amestrar as idéias que não correspondam à verdade, quando as paixões forem cedendo lugar ao amor, na pureza que Jesus nos ensinou.
O Espírito é conhecido pelos pensamentos que emite e que vibram no fluido que mencionamos. Tudo fica escrito nesse livro de Deus, sem que se perca um til do que nele se escreve. Ainda mais, a nossa consciência registra igualmente tudo o que pensamos; o pensamento é uma semente de uma fluidez grandiosa, que plasma na luz tanto exterior, como interior, os seus desejos.
Há Espíritos que sentem a mesma dificuldade que os homens para se comunicarem entre si, mas a expressão fisionômica sempre fala, demonstrando o que sente.
A boca e as cordas vocais ainda são instrumentos de grande valor entre os homens, e continuarão a ser por muito tempo, porém, quando perderem sua utilidade, certamente que devem atrofiar, dando lugar aos ouvidos.
Se desejamos disciplinar os nossos valores, comecemos hoje, agora mesmo, porque o que empana a transmissão dos pensamentos com nitidez é o egoísmo, tão conhecido e usado entre todos; é a violência que se encontra em destaque entre os seres que esqueceram a compreensão. Devemos nos aclimatar ao ambiente de caridade, porque ela nos leva ao desprendimento, alcançando a felicidade.
O Evangelho de Jesus veio nos preparar para conversarmos pelo pensamento, porque moraliza os Espíritos, para que não se envergonhem das transmissões.
Livro: Filosofia Espírita – Volume VI
Miramez / João Nunes Maia
Estudando O Livro dos Espíritos – Allan Kardec.
282. Como se comunicam entre si os Espíritos?
Eles se vêem e se compreendem. A palavra é material: é o reflexo do Espírito. O fluido universal estabelece entre eles constante comunicação; é o veículo da transmissão de seus pensamentos, como, para vós, o ar o é do som. É uma espécie de telégrafo universal, que liga todos os mundos e permite que os Espíritos se correspondam de um mundo a outro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Oração

Oração

Nossa Receita