terça-feira, 14 de janeiro de 2014

Tua Honestidade - Ayrtes

Queremos conversar sobre honestidade. Como é bom nos lembrarmos da virtude que edifica, que consola e que instrui, porque favorece nosso entendimento em todas as áreas do saber! Quando é formado um lar, sempre se lembra da probidade entre as criaturas que fazem parte da casa; a família que não fala, nem alimenta a decência, perde a direção dos seus mais belos caminhos para a legítima unificação. Compreendamos, pois, a necessidade do esforço próprio na aquisição dos sentimentos de honra, sem que o exagero ultrapasse os limites da modéstia,
O teu mundo de maior valor é a tua casa íntima, que deve ser cuidada pelo Espírito que nela habita; e quem não sabe o melhor caminho a seguir?
Nenhuma criatura é analfabeta no conhecimento do bem e do mal. O homem comum, quando ofendido, usa da defesa que lhe é própria: às vezes, reage com as armas da sua predileção - violência física ou palavrões; se sabe que foi ofendido, conhece o bem e o mal; quando é envolvido pelo afeto, dispensa carinhos. É dai que partimos para a educação, que nos cria um bem-estar indizível, usando o modelo do Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo.
Encontramos nele todas as modalidades que o amor nos propicia, para um bom comportamento com aqueles que nos amam e com quem nos ofende e calunia.
Sejamos honestos com nós mesmos, procurando uma postura altamente elevada em todos os meios onde estivermos, porque a dignidade não é conduta fantasma, é realidade para os que exercitam a verdadeira fraternidade.
A tua casa e a tua família têm mais necessidade de honestidade, do que mesmo de vestes; de amor, do que de comida; de trabalho do que mesmo de descanso. Não deves levar pelo campo da ofensa o que ouves ou lês; quem está escrevendo é mais carente do que está dizendo e pede sempre orações dos que vivem no mundo da carne; precisamos trocar experiências em todo o aprendizado, por sermos todos filhos do mesmo Pai de Bondade e de Amor.
Uma criatura honesta é admirada não somente pelos homens, mas também pelos céus.
A nossa palavra-chave desta conversa é a Fala. Falamos muito, e na tua casa sempre há gente falando; a urgência que deves ter em teu lar é o de ouvir o que se Fala, para consertar o que se diz fora do que se deve dizer. Aos pais compete essa missão: de ouvir o que falam os filhos, e, nesse exame, verificar qual o exemplo de que eles estão precisando. Proferir palavras indecorosas em um ninho familiar é favorecer a indisciplina, é tecer no ambiente invisível um magnetismo inferior capaz de irritar as criaturas que nele vivem, criando inimizades, de onde provém a separação. É muito útil que todos aprendam a usar a palavra na sua mais alta função de ajudar; o verbo educado abre caminhos para a fraternidade verdadeira.
Não deves aludir a ninguém, principalmente em teu lar, com agressividade; procura os recursos dentro do teu coração, inspirado no Amor, que com facilidade fluirão os pensamentos de paz e entendimento, de caridade e de compreensão, para que a tua Fala seja de luz, mantendo a harmonia em tua casa e em teu íntimo. Confere tudo o que vais falar, e ao dizer as palavras, lembra-te de que, se fosse Jesus, o que Ele falaria em teu lugar. Basta isso para aprenderes a falar.
Livro: Tua Casa.
Ayrtes / João Nunes Maia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Oração

Oração

Nossa Receita