sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

Tuas Mãos - Ayrtes

Vê tuas mãos! Já meditaste sobre elas? Deves conhecê-las melhor e usá-las com a eficiência que o coração em Cristo te inspirar. As mãos podem ser o instrumento do amor, do carinho e da fraternidade; elas podem e devem empenhar um papel em tua vida, de maneira a engrandecer os teus sentimentos. Elas são sensíveis ao teu comando, Deves dar direção proveitosa aos teus gestos. As mãos dos santos são instrumentos de Deus, na grandeza da caridade que eles falam e vivem.
Vê, companheiro, quantas mãos existem na tua família, capazes de fazer muito bem, dependendo das mãos de quem comanda a casa! Elas poderão abençoar em todos os sentidos! O magnetismo flui por intermédio das mãos, com muito fulgor, e tanto alivia como cura uma variedade de doenças, pela vontade de Deus e de quem as comanda e sente a caridade no coração.
Observa a maneira com que acionas as tuas mãos; se ainda não encontraste os gestos correspondentes à benevolência para as tuas mãos, recorda o Cristo e aprende com Ele a trabalhar com elas, em favor da humanidade.
Conheceremos o teu caráter pelo que fazem as tuas mãos; conheceremos a tua índole pelo trabalho delas, conheceremos os teus sentimentos pelo que fazem as tuas mãos! Vejamos o valor das mãos quando o coração se eterniza com o raciocínio!
Hoje vamos estudar os caminhos do Direito, aquele que sustenta a justiça em todos os seus caminhos. Estamos falando mais acentuadamente para a família, esperando dela o entendimento acerca das leis espirituais e morais.
Todos os chefes de família devem conhecer os seus Direitos e deveres ante a sua pequena sociedade. Um lar é uma nação em miniatura; quem vive bem entre quatro paredes, tem mais facilidade de viver melhor entre amigos e companheiros, vivendo retamente diante das nações; quem respeita as leis menores, certamente respeita as maiores. O homem íntegro nas pequenas coisas é honesto frente aos grandes fatos. Se desejas ser respeitado, não plantes outro tipo de semente. Se a honra te fascina o coração, semeia e vive retamente; se o perdão te induz para a esperança, esquece todas as ofensas que por acaso receberes. Cultiva a fraternidade, se desejas que os outros te amem.
É de lei que recebamos o que dermos, e o que damos sempre nos espera nos caminhos por que percorremos. Respeita os Direitos dos outros, se pretendes que teus irmãos te tratem com justiça. Dentro de uma casa, até as crianças têm seus Direitos - como também deveres - senão os próprios animais que ali existem; e quando reconhecermos essa lei, viveremos bem com todos, porque todos reconhecerão os nossos Direitos. As tuas mãos vieram com o Direito de servir à causa do bem comum e elas podem fazer muito, desde que a mente que as comanda já conheça e pratique a educação moral e espiritual, fale do bem e viva a fraternidade, siga da caridade e viva o amor.
Os dirigentes de um lar, para viverem felizes, devem observar os Direitos dos outros, nas linhas dos seus deveres, para que os outros façam o mesmo.
Eis aí a harmonia, cântico divino solfejado pelo coração. Começa hoje fazendo algo com as tuas mãos, entregando-as à direção do Cristo, que o Cristo passará a viver contigo dentro da tua casa.
Livro: Tua Casa.
Ayrtes / João Nunes Maia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Oração

Oração

Nossa Receita