quinta-feira, 15 de maio de 2014

COMPOSTURA MEDIÚNICA - Miramez

 O exercício mediúnico deve considerar o Evangelho como o guia mais capaz de inspirar orientação nos tortuosos caminhos da vida. Quando sentimos o afloramento da mediunidade, as nossas idéias nos convidam a extravagantes comportamentos. Mesmo que seja em um ser já por natureza equilibrado, ele não deixa de pensar em algumas vantagens ou mesmo em glórias humanas.
Quando o bom senso não deixa anunciar seus pensamentos, estes, ainda assim, se desprendem pelas vibrações da alma em todas as direções da casa do Senhor. Somos, portanto, conhecidos intimamente pelos benfeitores que nos assistem e nos acompanham. Quando nos conscientizamos disso, começamos a cortar os pensamentos que sabemos impróprios.
 O dever nos chama para a compostura mediúnica. Se falamos muito sobre a mediunidade, cabe-nos descrever todas as experiências dos caminhos já trilhados pelos primeiros médiuns desta doutrina abençoada. Os que estão, no momento, na Terra são agraciados por grande profusão de valores, através de mensagens e mais mensagens sobre o assunto, e livros e mais livros na pauta da educação da mediunidade. Ainda assim, alguns medianeiros não conseguem viver nas trilhas do Divino Amigo como servos fiéis da Boa Nova de Deus.
 Não insistimos para que sigas homens, mas somente os seus bons exemplos. Quando eles conseguirem dar-te isso, acompanha-os, enquanto eles estiverem direcionados pelo Bem, aquele Bem que visa a coletividade. Sê organizado em todas as tuas atividades com os Espíritos, com as crianças e com os idosos, com o mundo e com os homens que, por vezes, não participam dos teus ideais.
 A harmonia faz bem a todas as criaturas, mais ainda ao médium, pois é através dela que os bons companheiros da espiritualidade maior se comunicam com os seres da Terra. Desfaze-te dos pensamentos fixos, principalmente aqueles alimentados pela vaidade e pelo orgulho. Não queiras mostrar que tudo o que fazes é o certo; para isso tens uma razão. Analisa e compara, investiga e vê as idéias dos outros com carinho. Às vezes elas são melhores do que as nossas e só porque não nasceram nas nossas mentes, costumamos desprezá-las.
 Cada criatura vive em uma determinada faixa e pode perceber a lei melhor que nós, ajudando-nos no aperfeiçoamento. Os nossos melhores instrutores, quase sempre, são os que não nos suportam.
 Médium algum é infalível, tampouco o são os sábios e os santos. Todos estão à cata do saber maior. Queira Deus possamos ter a humildade de aprender até com os animais, com as plantas, com a natureza.
 Sejamos comedidos em todos os nossos atos, sem deixar a desconfiança invadir nossos corações. Crer é muito bom para todos nós e melhor ainda é saber crer.
 Se ainda não aprendeste a conter os teus pensamentos desencontrados, pelo menos exerce uma vigilância sobre o que deves falar aos outros. Eis a grande importância que tem a palavra e a tua ação para os olhos e ouvidos alheios. Podes construir com ela ou com ela também destruir muitas esperanças. A responsabilidade é de quem fala. Todos  inclusive nós que escrevemos carecemos de educara palavra, bem perto do Evangelho, para que o nosso verbo seja de paz, na lua do amor. Confiemos em Deus e em nós, sem perdermos as pegadas do Cristo.
 O médium não pode esquecer-se da decência nas suas lides mediúnicas, nem no meio dos homens, seus companheiros de trabalhos do dia a dia. A mediunidade com Jesus é uma escola onde o aprendizado não falta em nenhum momento. De acordo com o nosso ideal, recebemos aquilo que pensamos ser, colhemos os frutos na conjunção das sementes plantadas.
 Estamos procurando a segurança mediúnica e, para tal, é de nosso dever buscar a Jesus em todas as nossas dificuldades de educação, para que Ele nos ensine a disciplina, pelos caminhos que nos levam ao amor.
 Para muitos pode parecer que a mediunidade é coisa fácil e que, para o seu desenvolvimento, basta fechar os olhos, concentrar-se, e alguém, ao nosso lado, invocar os espíritos. O engano de muitos tem levado outros a recomeçarem em novas reencarnações. Quando surgir no teu íntimo o interesse pela Doutrina Espírita, procura saber como ela começou, e começa pelo início.
 Deves entender primeiro seus objetivos, o porquê estamos nos comunicando com os Espíritos e qual é a mensagem de Jesus a todas as criaturas. Não deves brincar com fogo sem as devidas prudências de como lidar com ele. Quem não se interessa pelas boas maneiras espirituais, com certas renúncias, é bom que não se apresente para o desenvolvimento mediúnico, porque Deus ligou as faculdades do Espírito à harmonia do coração e o dom da mediunidade não pode ser comercializado, como fazem os novos fariseus com a política e mesmo com certas religiões.
 O Cristo fundamentou novos rumos para os entendimentos dos homens.
Não tinha onde reclinar a cabeça e foi quem mais doou à humanidade inteira. E ainda continua a despejar o Seu amor, simplesmente por amor, em todas as atividades humanas e espirituais.
 Podemos considerar o médium como um discípulo de Jesus e como tal, não precisa dizer o que deve ser feito para a sua própria felicidade. A compostura mediúnica deve ser a primeira idéia dos que buscam o desenvolvimento das suas faculdades, de modo que o exemplo nobre de uma vida seja uma fonte inesgotável, igual àquela que encontrou a samaritana, quando ia buscar água para saciar a sede do corpo.
 Confiemos no Evangelho e demos as mãos ao Cristo, para que possamos viver com Deus.
Livro: Segurança Mediúnica.
Miramez / João Nunes Maia.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Oração

Oração

Nossa Receita